explore

Web clama por justiça após patroa da mãe de Miguel dizer que fez "tudo que podia"

sari corte real 07 20 1400 800
Reprodução/Globo Play

Na noite do último domingo (5), o "Fantástico" exibiu uma entrevista com Sari Corte Real, que falou pela primeira vez sobre o caso de Miguel Otávio, de 5 anos, que morreu após cair do 9° andar de um prédio em Recife, Pernambuco.

Miguel era filho de Mirtes, que trabalhava como empregada doméstica no apartamento da mulher que é esposa do prefeito da cidade de Tamandaré. A funcionária deixou o pequeno sob os cuidados da patroa para passear com os cachorros e quando retornou, encontrou a criança caída no chão do térreo do prédio.

Instagram

Sari falou pela primeira vez sobre o caso e a entrevista viralizou nas redes sociais e os internautas fizeram com que a #justiçaparamiguel se tornasse um dos assuntos mais comentados no Twitter.

Entrevista de Sari sobre a morte de Miguel

A repórter Beatriz Castro entrevistou Sari Corte Real. Foi a primeira vez que a esposa do prefeito da cidade de Tamandaré (PE), Sérgio Hacker, falou sobre o assunto em rede nacional.

sari corte real fantastico 07 20 1400 800
Reprodução/Globo Play

Na reportagem, imagens das câmeras de segurança do elevador do prédio onde Sari mora, mostram que ela convenceu Miguel a sair dos elevadores por quatro vezes.

Mas, na quinta tentativa, o menino não sai do elevador de serviço e a patroa da mãe desiste de tentar tirá-lo, parecendo tocar no botão da cobertura.

Sari afirma não ter apertado o botão do elevador

Ao ser questionada sobre as imagens, Sari afirma não ter apertado o botão que levaria Miguel para o último andar: "Não. Eu só botei a mão, fazendo como se eu fosse acionar, para ver se eu conseguia convencer ele a sair".

A ex-patroa de Mirtes também foi questionada sobre o motivo de não ter insistido em tirar o pequeno de dentro do elevador:

"Porque o maior contato que eu tive com Miguel foram nesses dois meses na pandemia e, todas as vezes que precisou ser chamada a atenção dele, todas as vezes, eu solicitava que ou a mãe ou a avó fizessem isso. Eu nunca me dirigi diretamente a ele para repreender ele em nada. Sempre a mãe ou a avó. Eu não me senti segura para isso", disse.

Sari diz não sentir culpa ou arrependimento

Durante a reportagem, Beatriz ainda perguntou para Sari se ela sentia algum tipo de culpa ou arrependimento pelo que aconteceu com Miguel e sua resposta foi: "Eu sinto que eu fiz tudo que eu podia".

A esposa do prefeito também falou que, se pudesse voltar no tempo, tentaria fazer mais do que fez naquele momento e quando a repórter perguntou o que ela faria de diferente, a resposta foi: "Esperava mais. Não sei, não sei dizer. Eu só sei que eu fiz, naquela hora, tudo o que eu podia. E, em nenhum momento, eu fiz nada prevendo o que aconteceu".

Pena por abandono de incapaz

Sari será indiciada por abandono de incapaz com resultado de morte, podendo pegar até 12 anos de prisão. Ao ser questionada se tinha medo de ser presa, a esposa do prefeito não respondeu diretamente.

"Até hoje eu estou aqui firme, porque muita gente depende de mim. E, se lá na frente, o resultado for esse [prisão], eu vou cumprir o que a lei pedir. Eu acho que está na mão da Justiça, não cabe a mim, não cabe à mãe de Miguel julgar, não cabe à sociedade. Cabe à Justiça. Eu vou aguardar o que a Justiça decidir", finalizou Sari.

Reação na web

A resposta de Sari sobre ter feito tudo o que podia gerou muita revolta nos internautas, que reagiram à fala da ex-patroa de Mirtes.

"A fala da Sari Corte: “eu fiz o que podia e o meu melhor”, é o reflexo do que a burguesia meritocrática e escravocrata faz pelos povos que eles marginalizaram: NADA. Então, não se surpreendam, ele não é caso isolado, ela é o padrão", escreveu uma pessoa no Twitter.

"Perplexidade e indignação resumem o sentimento que tive ao ver o comportamento de Sari Corte Real, em entrevista ao Fantástico, pouco mais de um mês após a morte do menino Miguel, que estava aos seus cuidados, ao cair do 9° andar do seu prédio", disse outro internauta.

Vários internautas também repararam no traje e nos objetos religiosos que Sari usava durante a entrevistas: "Roupa branca; Terço na mão; Pouca maquiagem; Pingente de Nossa Senhora. Tudo isso para Sari chegar em rede nacional e dizer que não se sente culpada pela morte do Miguel".

Morte de Miguel