explore

Aproximação de nuvem de gafanhotos faz governo decretar emergência no Sul do Brasil

gafanhotos 1400x800 0620
Antrakt2/Shutterstock

Foi declarado estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina devida à aproximação da chamada nuvem de gafanhoto do Brasil.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento tomou essa medida utilizada para evitar a propagação de pragas agrícolas devido ao risco de surto da praga Schistocerca cancellata nas áreas produtoras de ambos os Estados. São os gafanhotos que as pessoas tanto tem falado nas redes sociais nos últimos dias.

Por que tantos gafanhotos?

De acordo com a Agência Brasil, a maior preocupação pela aproximação da nuvem de gafanhotos, que está a cerca de 250 quilômetros da fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina, são os danos que os insetos podem causar às lavouras e pastagens.

O setor de Meteorologia da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul explica que o gafanhoto está presente no Brasil desde o século 19. Entre 1930 e 1940, esses insetos causaram grandes perdas às lavouras de arroz na região Sul, porém, desde então, a situação se manteve controlada.

Especialistas têm avaliado o que aconteceu para a formação da nuvem de gafanhotos, mas o fenômeno costuma ocorrer com temperaturas elevadas. Como há expectativa de aproximação de uma frente fria no Estado, os insetos podem desviar em direção ao Uruguai.

Gafanhotos são perigosos?

Quem tem medo de inseto sentiu logo um frio na espinha quando descobriu a aproximação de uma nuvem de gafanhotos.

Mas o maior risco que eles causam é em relação às lavouras mesmo. A dieta do gafanhoto varia conforme a espécie, e em geral eles se alimentam de folhas, cereais, capins e outras gramíneas.

Segundo informações repassadas à secretaria gaúcha, a nuvem que se aproxima do Brasil é originária do Paraguai, das províncias de Formosa e Chaco, onde há culturas de cana-de-açúcar, mandioca e milho.

Mundo animal