É 2018 mesmo? Leis russas que brasileiros devem seguir na Copa são MUITO polêmicas

russia 2018 copa 0618 1400x800
Oleinik Iuliia/Shutterstock

A contagem dos dias e anos na Rússia parece seguir uma lógica diferente quando o assunto é direitos básicos das pessoas, especialmente da comunidade LGBT. Com todos os olhos voltados para o país por causa da Copa do Mundo, algumas leis estão gerando polêmica. Entenda.

Leis da Rússia estão gerando polêmica

A Rússia tem uma lei federal, aprovada em 2013, que proíbe manifestações públicas de afeto entre gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. Quem for contra pode ser multado e, no caso de turistas, até deportado.

A regra veio à tona e foi duramente criticada por muitas pessoas após a divulgação de uma cartilha pelo Governo brasileiro feita para os torcedores que vão ao país europeu. Nela, consta a orientação de que se evite "demonstrações homoafetivas em ambientes públicos", pois lá não é comum ter esse tipo de afeto.

Na TV, a jornalista esportiva Fernanda Gentil fez um breve comentário irônico sobre o tema - ela se identifica como lésbica - ao divulgar as recomendações brasileiras. Nas redes sociais, muita gente se revoltou com o fato de a sede da Copa ainda ter leis tão retrógradas.

A pergunta que todos fazemos é: em que ano estamos?

russia catedral moscou copa 0618 1400x800
Leonid Andronov/Shutterstock

Às vésperas do início dos jogos da Copa do Mundo na Rússia, os apaixonados por futebol foram surpreendidos com uma regra de comportamento que parece ter saído da Idade Média.

É que a homossexualidade no país, que só foi descriminalizada em 1993, ainda pode render penalidades para casais gays. Para isso, basta que se demonstre afeto em público, como ao andar de mãos dadas, por exemplo.

O que diz a regra

ativista lgbt belgica russia 0618 1400x800
Alexandros Michailidis/Shutterstock

A regra que determina multa e prisão (e, para turistas, ser deportado) para quem descumpri-la foi assinada pelo presidente Vladimir Putin, em 2013. Muitos países e ativistas por direitos LGBT se manifestam repetidamente (na foto acima, um cartaz na Parada Gay da Bélgica) contra a postura anti-gay do governo russo.

Conhecida como "Lei da Propaganda Gay", a regra é federal e criminaliza a propaganda de "relações sexuais não-tradicionais" em frente a crianças.

É esse ponto que justifica a lei ter servido como base para recomendação de como os turistas devem se comportar durante o Mundial. A polícia russa tem autonomia para aplicá-la tanto em casos de um casal gay na publicidade e na mídia quanto em situações "reais", com casais trocando carinhos em locais públicos.

O que o governo brasileiro diz

bandeira lgbt gay russia 0618 1400x800
lazyllama/Shutterstock

O Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, e o Ministério dos Esportes reforçaram as regras para os brasileiros no "Guia Consular do Torcedor Brasileiro".

O documento é bastante claro ao recomendar aos brasileiros que evitem "manifestações intensas de afeto em público", especialmente as pessoas da comunidade LGBT.

Leia o trecho:

"Não são comuns na Rússia manifestações intensas de afeto em público. Em particular, recomenda-se à comunidade LGBT evitar demonstrações homoafetivas em ambientes públicos, que podem ser consideradas 'propaganda de relações sexuais não tradicionais feita a menores' e enquadradas em lei (junho de 2016) que prevê multa e deportação", diz o documento.

O órgão ainda pede que os brasileiros que estiverem curtindo a Copa evitem falar publicamente sobre assuntos como política e orientação sexual:

"Evite manifestar-se publicamente sobre temas políticos, ideológicos, sociais e de orientação sexual".

Repercussão da lei

A apresentadora da TV Globo Fernanda Gentil, que namora a jornalista Priscila Montandon, fez um comentário sarcástico ao noticiar a postura do Governo russo.

Em participação no Programa da Fátima Bernardes, na mesma emissora, ela garantiu que seguirá "bem menininha" durante seu trabalho cobrindo a Copa na Rússia.

Nas redes sociais, muitos usuários condenaram o fato de o Itamaraty repassar os cuidados para o torcedor gay frente à lei homofóbica da Rússia. Muita gente ponderou, entretanto, que o papel do órgão era o de justamente alertar os brasileiros para agirem em conformidade com os valores e preceitos do país que recebe o Mundial.

Vale lembrar que a orientação sobre as demonstrações homoafetivas estão ao lado de informações como formas de se localizar na Rússia, documentos que podem ser pedidos para os visitantes e frases úteis em russo. Vaja mais manifestações sobre a polêmica:

Copa na Rússia