explore

Mamute bebê foi encontrado quase intacto: ainda tinha vestígios de leite no estômago

mamut bosque
Orla/Getty Images

O mamute-lanoso foi uma espécie que viveu por quase meio milhão de anos no Hemisfério Norte, coexistindo com os humanos, e extinta há cerca de 4 mil anos.

O estudo desses animais começou no final da década de 1790 e, desde então, centenas de restos mortais já foram encontrados, principalmente na Rússia.

Em 2007, Yuri Khudi e seu filho, pastores de renas pertencentes ao povo nômade Nenet, encontraram a múmia de um bebê mamute no rio Yuribey, na Península Yamal, na Rússia.

O animal estava em perfeitas condições, com apenas algumas lesões na pele e na cauda. O bebê mamute foi batizado de Lyuba e tem viajado o mundo para ser estudado e visto por turistas em museus.

A partir de 2009, estudos têm sido realizados para tentar conhecer a causa de sua morte prematura. Estima-se que ele viveu há 42 mil anos e tinha um mês na época de sua morte.

Em 2014, o Museu de História Natural de Londres descobriu que ainda havia vestígios de leite e pólen no estômago de Lyuba. Além disso, foram encontrados sedimentos em seu tronco, sugerindo que ele caiu na lama e se afogou.

esqueleto mamut
Universidad de Michigan

Considerado o espécime de mamute mais bem preservado da história, Lyuba atualmente faz parte da coleção permanente do Museu Shemanovsky em Salekhard, na Rússia.

lyuba museo
Museo Natural de Historia de Londres

Descobertas da pré-história

Matéria traduzida do original de VIX espanhol, do autor Sofia Hernandez.