explore

Cientista explica qual foi o pior ano da história (e nem de longe foi 2020)

africa paisaje viajar
Harry Beugelink/Shutterstock

Pandemia, isolamento social, medo, número cada vez maior de mortes causadas pela Covid-19, enfim, motivos não faltam para acreditar que 2020 foi um dos piores anos da história.

Pode ser difícil de acreditar, mas a realidade é que a época atual não é a mais terrível para se estar vivo. Afinal, segundo a ciência, há milhões de anos as coisas eram muito piores.

vulcao em erupcao 1016 1400x800
Fotos593/shutterstock

A humanidade já teve que enfrentar várias situações difíceis em diferentes períodos, como as guerras, a alta taxa de mortalidade ou doenças que eram incuráveis ​​na época, como a peste bubônica, por exemplo.

Em entrevista a Science Magazine, o historiador e pesquisador Michael McCormick, especialista na era medieval, citou qual foi o pior ano da história.

planeta tierra portada
Aphelleon / Shutterstock

"O ano 536 foi o pior. Não em 1349, quando a Peste Negra varreu metade da Europa. Não em 1918, quando a gripe matou entre 50 e 100 milhões de pessoas. 536 foi o início de um dos piores períodos para se estar vivo, senão o pior ano", afirmou.

McCormick explicou as verdadeiras razões para sua teoria: em primeiro lugar, o clima estava bastante extremo naquele período, pois o sol emitiu pouca luz durante 18 meses e parte dos continentes europeu e asiático estava sob imensa neblina. Isso significa que os dias eram muito escuros e desfrutar de um dia de sol era impossível.

pexels photo 289367
Pixabay

Por outro lado, as temperaturas no verão de 536 caíram entre 1,5 e 2,5 graus Celsius, o que deu início à década mais fria dos últimos 2.300 anos.

Uma das consequências diretas foi que as safras foram perdidas e as pessoas morreram de fome por 3 anos consecutivos devido à falta de alimentos que não podiam crescer devido ao clima frio.

Plantas medicinales de Siberia 1
rutin55/istock/thinkstock

"Então, em 541, a peste bubônica atingiu o porto romano de Pelusium, no Egito. O que veio a ser chamado de Peste de Justiniano se espalhou rapidamente, aniquilando entre um terço e metade da população do Império Romano do Oriente e acelerando seu colapso", diz o especialista.

plaga de justiniano no fue tan mortal como se pensaba
Everett Historical/Shutterstock.com

Todos os eventos do ano 536 ficaram sem explicação até que uma investigação foi realizada em 2013, por McCormick e pelo glaciologista Paul Mayewski, que pertence ao Instituto de Mudanças Climáticas da Universidade do Maine.

Os resultados relataram que a causa foi uma erupção vulcânica catastrófica que ocorreu na Islândia no início daquela data, que expeliu muitas cinzas e se espalhou por vários países. Depois disso, houve mais duas outras erupções, em 540 e 547.

erupciones volcanicas conectadas 5
Retha Aretha vía Shutterstock

Ou seja: 2020 não foi um ano tão terrível se olharmos ao longo da história. Afinal, além do clima extremo, 536 foi marcado por desastres naturais e uma doença mortal.

Em uma época com poucos avanços tecnológicos, a sobrevivência era um desafio ainda maior.

Vírus e pandemias

Matéria traduzida do original de VIX espanhol, do autor Lili Diaz.