explore

Quadro "O Grito" tem mensagem secreta deixada por pintor, confirmam especialistas

o grito quadro 0221 1400x800
Oli Scarff/Getty Images

“Só poderia ter sido pintado por um louco”. A frase escrita a lápis no canto superior esquerdo do quadro “O Grito” foi alvo de mistério e debates durante décadas.

o grito publico 0221 1400x800
Spencer Platt/Getty Images

Muitos acreditavam que a inscrição teria sido feita por um espectador indignado em um ato de vandalismo. Especialistas, no entanto, agora confirmam que autor da "mensagem secreta” é o próprio Edvard Munch, pintor da icônica obra de arte.

Frase oculta em "O Grito" foi escrita por Munch

Por meio de fotografia infravermelha, a pesquisadora e curadora norueguesa Mai Britt Guleng, do Museu Nacional da Noruega, destacou a frase do fundo original da pintura e descobriu que “não havia dúvidas de que a inscrição era de Munch”.

o grito pintura 0221 1400x800
Oli Scarff/Getty Images

De acordo com a especialista, a caligrafia do artista, analisada a partir de cartas e anotações, além dos eventos que aconteceram com ele quando exibiu “O Grito” pela primeira vez, em 1893, apoiam essa conclusão.

Edvard Munch foi pioneiro do expressionismo e teve sua saúde mental questionada quando apresentou sua famosa obra.

o grito foto 0221 1400x800
Spencer Platt/Getty Images

“Em uma noite de discussão na Associação de Estudantes, onde acredita-se que Munch esteve presente, o jovem estudante de medicina Johan Scharffenberg questionou a saúde mental do artista, alegando que suas pinturas provavam que ele não estava com a mente sã”, disse o museu.

Segundo os especialistas, possivelmente ofendido com as acusações, Munch teria acrescentado a frase em seu quadro em 1895, em resposta ao julgamento de sua obra.

o grito museu 0221 1400x800
Spencer Platt/Getty Images

Em 2012, “O Grito” arrecadou quase R$ 650 milhões em um leilão da galeria Sotheby’s, de Nova York e, atualmente, está passando por um processo de conservação no museu norueguês antes de ser exposta ao público.

Arte e cultura