Panda-gigante dá à luz filhotes gêmeos na Bélgica: nascimento é extremamente raro

panda gigante zoo 0317 1400x800
Birdiegal/shutterstock

Gêmeos de pandas-gigantes nasceram em um zoológico da Bélgica no início de agosto de 2019. A notícia foi comemorada pela instituição onde os animais vieram o mundo por se tratar de um feito raro e pode ser um sopro de esperança à sobrevivência da espécie, ameaçada de extinção.

Gêmeos raros de panda-gigante nascem na Bélgica

Em 8 de agosto de 2019, o zoológico Pairi Daiza foi palco de um nascimento considerado “extremamente raro”, conforme classificação da própria instituição.

Na ocasião, dois gêmeos de pandas-gigantes nasceram, um macho de 160g e uma fêmea de 150g.

Os bebês foram concebidos a partir de uma inseminação artificial realizada em abril de 2019 na mãe dos filhotes, a panda Hao Hao.

De acordo com o comunicado do zoológico, a prioridade nos primeiros sete dias de vida dos bebês pandas é garantir que Hao Hao continue amamentando os filhos - já que é muito comum que as mamães panda abandonem os filhotes após o parto. Mamadeiras não são descartadas para servirem de complemento à alimentação.

No Facebook do zoológico, também foi informado que um bebê é mantido na incubadora enquanto Hao Hao cuida do outro filho e vice-versa.

Panda-gigante é espécie vulnerável

O nascimento dos gêmeos de panda-gigante é visto como uma esperança para a espécie, considerada “vulnerável” pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Pelos critérios da IUCN, uma espécie “vulnerável” indica que há um risco elevado de sua extinção na natureza em um futuro bem próximo - a não ser que as circunstâncias que ameaçam sua sobrevivência e reprodução melhorem, como perda ou destruição de habitat. Atualmente, 1.864 pandas gigantes vivem livres no mundo, segundo a World Wild Life (WWF).

Uma das estratégias para ajudar na recuperação da espécie são monitorá-las ou abrigá-las em centros como o Pairi Daiza. Desde 2014, quando Hao Hao chegou à Bélgica, um trabalho no centro é desenvolvido para a reprodução da espécie. A mamãe panda, por exemplo, deu à luz Tian Bao em 2016. Três anos depois, foi a vez dos gêmeos.

Para o presidente do Pairi Daiza Eric Domb, o nascimento duplo é um feito maravilhoso. “É uma grande recompensa pelo tremendo trabalho feito diariamente por todas as equipes, curandeiros, pesquisadores da Pairi Daiza e do Centro de Conservação e Pesquisa da China para o Panda Gigante”, comentou.

Meio ambiente: como preservar