Bill Gates paga dívida da Nigéria por tratamento que salvou milhões de crianças

bill gates microsoft 1117 1400x800
Axel Schmidt - Pool/Getty Images

O caso mais bem sucedido de zerar a epidemia de poliomielite é o da Nigéria. O país já teve mais da metade dos casos da doença no mundo e agora não tem mais nenhuma criança com o vírus. O tratamento foi caro, custou US$ 76 milhões (R$ 250 milhões), mas quem vai pagar a conta é a Fundação Bill e Melinda Gates, criada pelo bilionário fundador da Microsoft.

vacina polio bebe ciencia 0917 1400x800
ranplett/iStock

A doação de US$ 76 mi para a Nigéria

De acordo com o jornal nigeriano Premium Times, o governo do país acertou com a fundação de Gates o pagamento integral do empréstimo tomado para por o tratamento contra a poliomielite em ação. Em 2014, o Japão, via Overseas Development Assistance (ODAs), concedeu o valor à Nigéria para que o programa fosse posto em prática.

No acordo entre Nigéria e Japão, o país africano teria quatro anos para pagar o montante. Acontece que a economia local passa pelo seu pior momento em 20 anos: após duas décadas de desempenho acima da média mundial, a Nigéria registrou déficit público nas contas de 2017 e teria dificuldade para honrar o compromisso.

Aí que entra a filantropia do casal Bill e Melinda. A Fundação Gates concordaria em pagar o empréstimo se a Nigéria alcançasse a meta de pelo menos 80% de cobertura de vacinação em pelo menos uma rodada por ano. Como o objetivo foi cumprido, a entidade assume a dívida, que será parcelada em 20 anos.

crianca africa feliz 1217 1400x800
Bartosz Hadyniak/iStock

Como está a poliomielite na Nigéria?

Ao longo de todo 2017, o país não registrou nenhum caso novo da doença. A última vez que crianças foram contaminadas com o vírus data de agosto de 2016; à época, a Nigéria já estava há mais de 12 meses sem contaminações.

O quadro atual ainda não permite afirmar que a paralisia infantil está erradicada no país, mas já é um enorme avanço em relação a 2012, quando metade de todos os casos do mundo eram registrados por lá.

Como pensa o bilionário