Ewbank fala por todas as mães adotivas ao descrever o "parto de Titi" em seu coração

Giovanna Ewbank é mãe adotiva de Titi e Bless e foi convidada para dar uma palestra sobre maternidade e laços de amor. A atriz e apresentadora esteve no TEDx, do Centro Universitário FAG, e dividiu um pouco da experiência vivida durante a sua primeira adoção.

Emocionada, ela falou sobre o duro processo de espera até poder levar a pequena Chissomo para casa e o que sentiu ao conhecer a filha.

Giovanna Ewbank no TEDx

Com o intuito de explicar a conexão que tem com a filha, Gioh descreveu o exato momento em que viu Titi pela primeira vez. "Tudo na minha vida mudou desde a primeira vez que eu a vi, que eu abracei ela. Eu me lembro até hoje da sensação desse engasgo na garganta e do meu corpo trêmulo", relembra.

Giovanna diz que chegou a se questionar sobre o que sentia naquele momento e logo conclui: "Eu encontrei a minha filha e minha filha me encontrou". A certeza da esposa de Bruno Gagliasso é de que aquele foi exato momento do parto.

"Eu não sei exatamente como é o sentimento de uma mãe quando pega o seu filho pela primeira vez depois do parto. Mas eu arrisco dizer que esse sentimento é muito similar com o que eu senti ali"

A partir daquele encontro, Ewbank foi atrás do processo de adoção da menina, que ela compara com uma gestação de muita dor e angústia.

Adoção de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso

"Entre tantas bilhões de possibilidades, uma só criança nos escolhe. Seja ela no útero, seja ela no coração", explica Giovanna. É com essa frase que ela começa a criar uma linda analogia que explica como os processos de gestação e adoção podem ser semelhantes em alguns momentos e tão pesados para quem já conhece seu filho antes de ter a guarda concedida.

"Eu costumo dizer que minha barriga mudou de lugar e que meu parto veio antes da minha gravidez"

Com a inversão, Gioh passou por um período de muita intensidade na espera. "Eu falo que a minha gestação durou um ano e meio e que foi de muita dor e muita angústia. Porque, diferente de uma gravidez comum, eu já conhecia a minha filha, eu já sabia que ela gostava de manga, que ela tinha medo de passarinho, que ela era muito linda e tinha um olhar muito curioso. E que ela queria muito sair daquele lugar para desbravar o mundo comigo", explica.

A conexão com Titi fez também com que Ewbank repensasse o que faz uma mulher se tornar mãe. "São esses momentos que me fazem ter a certeza de que a maternidade nasce em outro lugar. De que a maternidade nasce de um amor profundo e intenso", conclui.

Filha de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso