mulher

Introdução alimentar feita dentro da caixa foi ideia de terapeuta para bebê comer melhor

bebe introducao alimentar 0719 1400x800
Syda Productions/Shutterstock

A partir dos seis meses, o bebê que até então só mamava no peito está liberado para experimentar novos alimentos. Mais do que papinhas e frutas amassadas, a introdução alimentar apresenta à criança um novo mundo de sabores e texturas.

Aprendendo a comer

A introdução alimentar é um marco para o desenvolvimento do bebê que diz respeito não só ao paladar, mas a todos os outros sentidos. Como explica o pediatra Moisés Chencinski, aprender a cheirar e sentir a consistência dos alimentos é essencial nesta fase.

Por isso, os pais podem se preparar para lidar com muita sujeira, pois é assim que os bebês descobrem este novo mundo. Para delimitar a bagunça e deixar a criança totalmente à vontade ao explorar os alimentos, a terapeuta Raquel Jaskulski teve uma ideia que inspirou suas seguidoras no Instagram.

bebe sujeira comida 0719 1400x800
vchal/Shutterstock

Caixa de introdução alimentar

Raquel explicou por que seu filho Ben sempre aparece sentado dentro de uma caixa de plástico durante as refeições. Segundo ela, é uma maneira de estimular sua noção de espaço e consciência corporal, proporcionando uma experiência multissensorial à criança.

Com toda a liberdade para se sujar, o bebê que come dentro da caixa estimula todos os seus sentidos e aprende que comer é um ato que envolve muito mais do que a boca.

Além disso, ele exercita a postura e o equilíbrio, entendendo melhor a forma e o tamanho do seu corpo. E o melhor de tudo é que a sujeira fica toda lá dentro...

View this post on Instagram

Quem nos acompanha aqui vê o Ben comendo na caixa, entao resolvi explicar melhor os benefícios na escolha da caixa na introdução alimentar complementar dele. A caixa fornece uma excelente oportunidade para ensina-lo a ter consciência espacial e corporal, e la dentro, terá melhor oportunidade na hora de descobrir os novos alimentos, pois comer é uma ação multissensorial. A caixa pode trazer mais possibilidade de exploração sensorial, se sujar mesmo, para estimular e integrar todos os sentidos possíveis, como tátil, gustativo, olfativo, proprioceptivo durante o aprendizado sobre comer. É aqui que ele precisa entender que comer tem diferentes texturas, temperaturas que vai além da boca, e que precisa sentir mais sensorialmente. O bebê precisa entender tb como é sua postura, como se manter equilibrado, entender seu tamanho e a forma do seu corpinho dentro da caixa, ensinando-o noções perceptivas. E vou completar que a sujeira ainda fica limita ao espaço ali, 😝 Vejo que muitas famílias aderiram à caixa se inspirando na gente, e fico feliz de ajudar! Vc tem uma caixa aí?? Depois é só convidar seu filho(a) para entrar e explorar. Não deixa de me marcar no Stories que compartilho! ♥️ Raquel “Mais do que Terapeuta ocupacional tb sou mãe! #Mamaecriaebrinca #EstimulacaoemBebes 📸 @jesienfotografia - Ensaios de família lifestyle em Porto Alegre e região

A post shared by Raquel Jaskulski (@raquelmamaecriaebrinca) on

Técnicas de introdução alimentar