Guardar dente de leite é medida para armazenar células-tronco e usá-las no futuro

dente leite crianca 0619 1400x800 0
AB Photostudio/Shutterstock

Muitas mães fazem questão de guardar os dentinhos de leite dos filhos em uma caixinha, como lembrança. Mas talvez elas nem imaginem o valor que isso pode ter para a criança no futuro.

Por que guardar dentes de leite?

Na verdade, uma caixinha no fundo da gaveta está longe de ser a melhor maneira de armazenar um bem tão importante quanto as células-tronco presentes na polpa dos dentes de leite.

Existem serviços especializados em coletar e congelar o material, que pode ser utilizado no futuro para regeneração de tecido e tratamento de câncer e outras doenças degenerativas.

dentes crianca maos 0619 1400x800
Nadin Panina/Shutterstock

Como fazer a coleta

As células-tronco da polpa do dente de leite são mesenquimais, um tipo bem mais versátil em relação ao material coletado do sangue do cordão umbilical, que pode se transformar em vários tipos diferentes de tecido.

No entanto, como explica a médica Mariane Secco, a retirada do dente deve respeitar alguns cuidados, e ele deve ser guardado em potes específicos para sua coleta, fornecidos pelo laboratório responsável pelo armazenamento.

Segundo ela, quando mais jovens as células-tronco, melhor será a qualidade do material. O melhor de tudo é que os pais têm várias chances, em vários dentes, de fornecer ao filho um recurso que pode ser decisivo no futuro - ao contrário do sangue do cordão umbilical, que só pode ser retirado logo após o parto.

Tratamentos com células-tronco