mulher

Castigo não funciona e tem efeito devastador na educação: médico explica alternativas

castigo crianca bronca 0519 1400x800
Dmitriy Khvan/shutterstock

Deixar seu filho de castigo após uma birra ou comportamento inadequado pode garantir alguns minutos de tranquilidade e até passar a impressão de disciplina. O método, no entanto, é ineficaz e pode ter um custo muito alto para a criança.

Castigo na educação: consequências

Em seu perfil no Instagram, o pediatra Reginaldo Freire afirma que o castigo é uma estratégia adotada por muitos pais, mesmo por aqueles que não se sentem bem aplicando essa punição, como uma tentativa de fazer com que a criança não repita algo considerado inadequado. O profissional afirma que a tática não funciona e ensina o que deve ser feito.

De acordo com o médico, pesquisas mostram que o castigo não faz o comportamento errado da criança parar de acontecer e que a punição apenas mostra o que o pequeno não deve fazer, sem, de fato, ensinar ou educar, já que não apresenta as alternativas para que ele adote ações saudáveis.

mae bronca filho 1218 1400x800
KieferPix/Shutterstock

O pediatra ainda complementa dizendo que o castigo apenas funciona momentaneamente, para que a atitude não se repita quando você está presente. A punição, portanto, pode transmitir a impressão de eficácia, mas não convence seu filho de que ele deve evitar a atitude em na ausência. Ele pode até não repetir o ato, mas por medo e não por ter entendido ou se convencido de que é um problema.

A ciência mostra que precisamos ser acolhidos nos momentos de frustração e isolar a criança justamente quando ela está em processo de aprendizagem só mostra que você não está disponível para ajudar, explica o especialista.

O castigo ainda passa a ideia de que seu filho não poderá contar com você em situações difíceis e pode resultar em falta de conexão na família.

crianca chorando ursinho 0419 1400x800
Daniel Jedzura/Shutterstock

Alternativas ao castigo

Paciência e persistência, segundo o médico, são fundamentais para educar a criança e evitar os castigos.

O processo é trabalhoso, mas quando você ensina a criança, faz com que ela seja capaz de conhecer os caminhos certos e agir de forma adequada quando você não está presente.

As teorias de disciplina positiva, desenvolvimento neurocompatível e criação com apego ajudam a colocar limites e educar com segurança e firmeza sem, no entanto, minar a criança, esperar dela mais do que ela é capaz de dar ou condicionar pelo medo.

Educação infantil