É isto o que pode acontecer quando uma grávida come comida japonesa

comida japonesa sushi 0119 1400x800
Olexandr Taranukhin/shutterstock

A lista de restrições alimentares para mulheres grávidas pode ser grande e, segundo a nutricionista Andreia Friques, a comida japonesa, aparentemente leve e saudável, também deve ser evitada durante a gestação por causa da presença do peixe cru.

sushi comida japonesa 0119 1400x800
Katerinina/shutterstock

De acordo com a profissional, ao contrário do que muita gente acredita, o perigo não está na toxoplasmose, infecção por um parasita comum encontrado em alimentos contaminados, mas sim na difilobotriase, doença que pode ser adquirida pelo consumo de sushi ou sashimi.

Por que grávidas não devem comer comida japonesa

gravida comida japonesa 0119 1400x800
Anjo Kan/shutterstock

Gestantes devem ficar longe da culinária japonesa para evitar a difilobotríase, também conhecida como “doença do peixe cru”, causada pelo cestódio Diphyllobothrium, um dos maiores que pode parasitar o homem (atinge cerca de 10 metros de comprimento no intestino delgado).

salmao cru sashimi 0119 1400x800
StopperOhana/shutterstock

A difilobotríase é transmitida através da ingestão de peixes crus, mal cozidos ou defumados por processos caseiros, em temperatura inadequada, que não mata a larva do peixe contaminado.

Na grande maioria dos casos, a difilobotríase é assintomática, mas a condição pode provocar sinais como dor e desconforto abdominal, flatulência, náusea, vômito e diarreia, por exemplo. Em alguns casos mais graves (e também mais raros) pode ocorrer obstrução intestinal e do ducto biliar.

atum peixe sashimi 0119 1400x800
Prasit Rodphan/shutterstock

O tratamento da difilobotríase é feito, geralmente, por meio de uso de medicamento antiparasitário de amplo espectro, considerado o mais eficaz para essa tênia.

Cuidados durante a gravidez