mulher

Por que as unhas da filha de Deborah Secco em foto geraram dúvidas entre muitas mães?

View this post on Instagram

🤗🤗🤕🤗🤗 te amo, minha menina!

A post shared by Deborah Secco (@dedesecco) on

Deborah Secco divertiu os fãs com mais um registro fofo da pequena Maria Flor, no Instagram. Acostumada a exibir momentos diferentes do crescimento da filha, a atriz chamou atenção ao mostrar um detalhe inusitado no visual da menina.

“Maria Flor se fazendo de 'passada' para mostrar suas novas unhinhas coloridas”, escreveu a mamãe coruja na legenda da imagem. Nela, a garotinha de apenas dois anos aparece usando unhas postiças em diversas cores.

Unhas postiças em crianças

Muitos seguidores elogiaram a fofura da menina, mas outras mães questionaram se era seguro usar o acessório ainda tão pequenininha.

Embora pareçam inofensivas, as unhas postiças podem, de fato, trazer alguns riscos para a saúde das crianças, principalmente no caso das mais novinhas. Isso porque a cola que ajuda a fixar o produto nas mãos pode ser abrasiva e causar danos à estrutura das unhas naturais.

“Mesmo os produtos fabricados especificamente para o público infantil devem ser evitados, porque as unhas das crianças são muito sensíveis, não estão totalmente formadas, e o uso da cola, além de poder causar uma alergia, pode descamar a unha na hora da remoção”, explica Luísa Bahia França, dermatologista de Belo Horizonte e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com a médica, existe até mesmo um risco de dano a longo prazo caso as unhas postiças sejam usadas com frequência e durante longos períodos pelas crianças, já que o produto pode enfraquecer as unhas naturais e comprometer seu processo de formação.

Esmalte também não é indicado

Além disso, a especialista alerta que a cola das unhas postiças pode eventualmente causar uma dermatite de contato, que é uma alergia local e temporária, provocada por uma determinada substância que entra em contato com a pele. Esse problema, aliás, é muito comum em crianças que usam esmaltes.

“Os esmaltes contêm inúmeras substâncias que podem causar alergias, sendo a mais comum na região dos olhos, já que as crianças normalmente se coçam e colocam o produto em contato com essa área sensível, provocando vermelhidão e o surgimento de inchaço nas pálpebras”, diz a médica.

Helga Clementino, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e porta-voz da Sinclair Pharma no Brasil, reforça que os pais devem permitir apenas o uso de esmaltes hipoalergênicos e feitos à base de água, que saem facilmente quando as mãos são lavadas.

“O ideal mesmo é não usar nenhum desses produtos, mas caso isso seja feito, é importante não deixar o esmalte ou a unha postiça por muito tempo na criança. Na hora da remoção, é importante evitar o uso de acetona e preferir um removedor menos abrasivo ou algum óleo específico, além de monitorar para que as crianças não levem as mãos à boca”, orienta.

Deborah Secco e Maria Flor