mulher

Esta mãe teve ideia bem única para fazer um "antes e depois" do barrigão e bebê

julia salse 2 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce

Ideias criativas para celebrar a chegada do bebê dão um charme singular para marcar esse momento tão único na vida da família.

No caso da blogueira Julia Salce, tal criação envolveu uma foto bem interessante, no estilo antes e depois, que retratam diferentes momentos da maternidade.

Ideia criativa para antes e depois com a bebê

Quem acompanha o blog de Julia e, especialmente o perfil no Instagram que a paulistana alimenta, o “osvoosdaxoana”, deve ter reparado em uma montagem em especial publicada pala blogueira.

Trata-se de um antes e depois: na primeira imagem, registrada um dia antes de a filha vir ao mundo, ela mostra um macacãozinho de Mariah com estampas de coraçõezinhos colocado sobre a cama e entre as pernas de Julia.

Na segunda imagem, feita duas semanas após o nascimento da bebê, o mesmo macacãozinho aparece, desta vez vestindo a menina, que aparece sob a mesma perspectiva que a foto anterior.

julia salse 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce

Julia conta que a ideia para os cliques surgiu ainda na concepção da primeira imagem. “Um dia, eu estava olhando a roupinha dela, assim sentadinha, organizando as coisas com o barrigão, e falei ‘gente, olha uma foto aqui’.”

A blogueira ainda revela que outras fotos similares foram feitas com as seringas contendo medicamentos para a trombofilia que ela tomava durante a gravidez.

“Eu tinha que tomar uma picadinha de amor, que eu chamo, por dia. Foram mais de 220 picadas, para evitar trombose, porque eu tenho essa alteração genética para trombofilia”, explica Julia.

julia salse 6 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce

A trombofilia é uma condição que pode causar uma alteração na coagulação do sangue, aumentando os riscos de obstrução dos vasos sanguíneos e, consequentemente, a ocorrência de uma trombose.

A condição pode aparecer em qualquer período da vida, mas é mais grave durante uma gravidez e também nos períodos do parto e do pós-parto. Isso porque, além de provocar complicações na gestação, atrapalhando o desenvolvimento do feto, o problema pode dificultar a contenção do sangramento na mulher ao dar à luz, podendo levá-la à morte.

Planejamento para ser mãe

Se a fotinho de Mariah aconteceu de forma espontânea, a chegada da menina foi bem planejada pelos pais.

julia salse 1400x1375
Gentileza de Julia Herling Salce

Afinal, Julia conta que, a princípio, não mentalizava ser mãe. “Comecei a planejar quando eu conheci meu atual marido. Comecei a perguntar o que ele pensava e foi, então, que começou a despontar a maternidade em mim. Talvez porque encontrei uma pessoa com quem eu me sentia segura para ser mãe. Porque, para mim, segurança é muito importante. Eu não queria ser mãe só por ser e sem estrutura. Eu queria ter uma segurança para passar para minha filha e uma estabilidade.”

Julia e o marido Marcelo casaram-se em maio de 2016, em uma cerimônia na Tailândia. “Depois a gente fez uma celebração aqui no Brasil para a família. Então são dois anos mesmo de casados e cinco que estamos juntos.”

Desde aquela época, o casal passou a planejar a expandir a família. "Quando eu fiz 34 anos, falamos que iriamos ter até os 35. Só que não sabíamos quanto tempo levaria, se seria rápido ou não. Falamos ‘agora podemos abrir a porteira’. Graças a Deus foi rápido. Em abril eu fiz 35 e eu tive ela em julho. Ficamos bem felizes.”

julia salse 7 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce
julia salse 4 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce

Maternidade real

Julia não esconde sua felicidade com a chegada de Mariah, mas também não omite a realidade do que é a maternidade.

“As pessoas contam da parte linda da maternidade, que é a melhor coisa do mundo. Realmente é, mas não é só isso. Ser pai e mãe tem a parte dos perrengues."

julia salse 3 1400x1400
Gentileza de Julia Herling Salce

A blogueira cita que um dos obstáculos enfrentados por ela e o esposo nos primeiros dias com a filha foi a descoberta do refluxo, não diagnosticado imediatamente pelos pais.

"Até descobrirmos, achávamos que era cólica. Ela chorava de se descabelar, de bater – e olha que ela tem dois meses. Dávamos remédio para cólica, lógico que não passava, porque era refluxo. Hoje ela está sendo tratada. Ela chegou a ficar seis horas direto chorando, dá vontade de bater a cabeça na parede, privação de sono, eu tive mastite, estresse de tudo isso... Menina, é uma loucura.”

Maternidade