mulher

Atriz revela 4 verdades sobre a gestação e prova que ela não é 100% conto de fadas

View this post on Instagram

Crescendo - AMOR - Crer - Sendo - AMOR - AMOR

A post shared by Juliana Didone (@julianadidone) on

Juliana Didone está na reta final da gestação de sua primeira filha com o artista plástico Flávio Rossi, eles esperam uma menininha, a pequena Liz.

Recentemente, a mamãe de primeira viagem fez um ensaio fotográfico para a Revista Quem e impressionou com o tema eleito para os cliques: nada muito delicado e cor de rosa, ela apareceu seminua em cenários dramáticos. 

A atriz de 33 anos revelou que estas fotos traduzem a sua visão sobre a gestação que, como disse em entrevista ao veículo, não é um conto de fadas, como muitos apontam.

"A maternidade para mim não é unicórnio e fadinha. Não é isso. A maternidade é rock and roll, é se desnudar inteira, se libertar de um monte de padrão, deixar entrar um monte de insegurança, medo e angústia. É não saber se vai dar conta tanto de cuidar como de educar. Não queria nada de tutu de bailarina, trança. Para mim, tinha essa coisa do vermelho, do sangue, do escuro, que inclusive acho mais forte que rosinha e borboleta. Não sei dizer se me senti sexy e poderosa, mas me senti entregue ali, nua em todos os sentidos. Era como se estivesse descobrindo um novo corpo”, diz.

Abaixo listamos quatro verdades sobre maternidade relatadas por Juliana, veja:

Relato de Juliana Didone sobre gestação

Transformações e ansiedade

Juliana revelou que a descoberta da gravidez foi um choque e que, ao longo do tempo, a novidade veio acompanhada por muita ansiedade, medo e transformação interna. Ela diz não concordar com a romantização da gestação e com a fala de que as gestantes sentem-se plenas neste período, principalmente devido às alterações hormonais.

“Estou obcecada por informações, fico um pouco ansiosa e acabo comendo", afirmou em entrevista ao Uol.

Juliana acredita que este período tão especial também é um momento para praticar o autoconhecimento, já que no começo da gestação sofreu com a ideia de se abrir para uma nova experiência que a tiraria do controle em muitos aspectos.

“É tudo uma transição e hoje entendo por que a gravidez precisa de nove meses para você amadurecer. É um rito de passagem. Algumas coisas estão morrendo em mim para eu renascer num outro lugar, nascer como mãe. Depois que a minha ansiedade passou, me veio uma libertação de vida real. Cada hora você está em um momento, e a vida é recomeço todo dia”, diz à Quem.

Mudanças no corpo

Aos oito meses de gestação, a atriz confessou que sente muito peso, se sente inchada, e que se viu perdendo o controle do próprio corpo à medida que engordou, viu seus seios crescerem e que não enxerga mais o próprio pé por conta do barrigão. Em entrevista ao Purepeople, ela assume estar curtindo a nova fase.

"Tenho curtido as mudanças do corpo, que não são só coisas boas. É difícil. Você se sente mais pesada, com dor na perna, sente limitações. Estou vivendo um outro momento. Estou em outro corpo. E é maravilhoso ver essa transformação porque estou gerando uma coisa muito bonita: milha filha".

Juliana também já comentou com a imprensa sobre um assunto que ainda é tabu entre as mamães: sexo. Ela revelou que durante a gestação seu apetite sexual aumentou, mas teve que aprender a lidar com suas novas curvas.

“É louco porque você está entendendo seu corpo, tem uns obstáculos. É um momento lindo do casal descobrir esse novo encontro de uma mãe e de um pai transando, de que eles estão gerando uma vida ali juntos. Os pais, eu vejo também pelas minhas amigas, eles têm medo desse mito de machucar o bebê. Eu e Flávio fizemos um novo reencontro, não sei se de mãe e pai, mas de um outro lugar. A gente se descobriu ali, diferente.”, afirma à Quem.

Carreira x maternidade

Apesar de sempre ter desejado ser mãe, Juliana afirma que adiava o plano por conta do trabalho, assume que se dedicava intensamente aos seus projetos mas que, agora, não sabe dizer como será daqui para frente em relação à sua carreira.

“Meus filhos eram meus projetos: a novela, a peça, o filme. E dizia, ‘daqui a dois ou três anos, vou ter filho, antes vou terminar o projeto tal’. Mas não era algo muito planejado ou desejado. Aí, de repente, a vida mudou. Pode ser que eu queira voltar a trabalhar em seis meses ou vai que eu nunca mais queira”, revela à Quem.

Dúvidas sobre o futuro

Assim como muitas mamães, a atriz também tem seus anseios quanto à criação da pequena Liz, e ainda em entrevista à Quem diz que pretende trabalhar ao máximo para que sua filha cresça em um ambiente sem desigualdade de gêneros, e para que ela saiba que pode conquistar tudo o que almeja.

“Quero criar minha filha de forma que ela entenda que tudo pode e ela pode tudo. Ela pode entrar numa loja e escolher um carrinho em vez de uma boneca. Quero que minha filha escolha o que vai ser. Eu tenho medo, mas as crianças que estão nascendo vêm com uma missão de melhorar o mundo em que elas vão ser criadas, para a gente, para elas mesmas e para as gerações futuras delas”, finaliza.

Dicas para gestantes