mulher

Para diminuir solidão das mães, site é criado para que mulheres possam desabafar

mae crianca mao 1812 1400x800
SolStock/ iStock

O nascimento de um bebezinho muda a vida de uma família. Porém, como nos primeiros meses de vida a criança depende muito da mãe, a vida da mulher muda bastante. Com o propósito de desconstruir a maternidade romântica que é o tempo todo reforçada pela sociedade e para gerar identificação, o site “Mães que escrevem” reúne textos da vida real.

Maternidade

As mães não são seres perfeitos apenas porque são responsáveis por outra vida. Elas são seres humanos, que para muitos deixam de existir quando a criança nasce. Será mesmo? Culturalmente, o que a sociedade quer é que a mãe anule todas as suas vontades como mulher, não tenha mais desejos, esqueça as suas inseguranças e segredos.

mae crianca computador 1812 1400x800
fizkes/ iStock

No site, mães, de forma anônima ou não, escrevem textos, poemas e artigos sobre maternidade, política, feminismo, cotidiano, comportamento, enfim, qualquer coisa que as mulheres do outro lado telinha queiram desabafar. É uma rede segura de troca de ideias.

Não é preciso ser mãe solo para se sentir sozinha nesse mundo com a cria debaixo do braço. O medo de ser julgada faz com que a mãe crie um universo paralelo dentro e fora dela. A proposta do site é abraçar essas duas personalidades e ser um respiro para a rotina corrida e, na maioria das vezes, massacrante da mamãe.

Primeiros meses do bebê