mulher

Mãe ensina frase mágica para acabar com chilique dos filhos: fórmula valoriza criança

crianca chorando chilique birra 11
atrickheagney / Istock

Os "chiliques" fazem parte do crescimento de uma criança e podem causar muita dor de cabeça aos pais se não forem compreendidos como uma fase de aprendizado e adaptação. A jornalista Fabiana Santos, também autora do blog Tudo Sobre Minha Mãe, descobriu uma "fórmula mágica" que nada mais é do que uma maneira respeitosa de falar com a criança, que acabou com a birra da filha mais nova, Alice.

Como conversar com crianças

Tudo começou com uma nova fase na vida de Alice, a alfabetização. A menina estava muito nervosa, ansiosa e afirmava constantemente que não conseguiria acompanhar as primeiras semanas na escola.

“Esse comportamento acabou se desdobrando em casa: ela aumentou as situações de fazer drama para qualquer coisa, mesmo as mais simples”, escreveu a mãe.

birra2 menina mesa 305861393
211production/Shutterstock

Probleminha ou Problemão?

A jornalista seguiu orientações pedagógicas e procurou ajuda de psicólogas infantis. A especialista norte-americana Sally Neuberger explicou que é preciso mostrar para criança que a queixa dela é importante. “Na hora de uma crise, seja por qual motivo for, uma criança a partir dos 5 anos de idade precisa ser atendida no sentido de pensar e achar a resposta sobre o que está acontecendo com ela”, explicou Fabiana.

A partir daquele momento, de forma objetiva e independentemente do motivo, quando a birra começa, a mãe olha nos olhos da filha e perguntar tranquilamente: “Isto é um problema grande, um problema médio ou um problema pequeno?”.

Fabiana contou que tudo mudou quando passou a valorizar as queixas da filha. Além disso, os momentos em que a própria criança passou a pensar na grandeza de seus “problemas” e em como resolver a situação diminuíram a sessão de choros e gritos.

mulher crianca cabelos 2011 1400x800
Shutterstock

“Um [problema] pequeno sempre é rápido e tranquilo de resolver. Algum que ela considera médio, muito provavelmente será resolvido, mas não na mesma hora e ela vai entender que há coisas que precisam de algum desdobramento para acontecer. Se um problema for grave, talvez seja preciso mais conversa e atenção para ela entender que há coisas que não saem exatamente como a gente quer”, afirmou a mãe.

Apesar de não acreditar em milagres na hora de educar os filhos, Fabiana quis compartilhar a sua descoberta e assim acalmar o coração de outros papais pelo mundo.

Comportamento infantil