mulher

Marca de papinha caseira é proibida pela Anvisa por falta de registro sanitário

papinha bebe comida 03
Vorobyeva / Shutterstock

Na última semana a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a fabricação, comercialização e divulgação de uma série de alimentos. Entre eles, uma marca de papinha caseira para bebês.

A “Papa no Prato” é uma marca comercializada pela internet e entregue na capital paulista. De acordo com a Anvisa, a “fabricação é desconhecida” e a suspensão se deu pela falta do “registro sanitário para alimentos de transição para lactentes e crianças da primeira infância”.

Além de frutas, a marca comercializa papinhas e refeições congeladas para crianças entre 6 e 12 meses ou mais. De acordo com o site da empresa, as comidas eram caseiras, sem estabilizantes, conservantes e sem “nomes complicados” e entregues em embalagens livres de bisfenol, substância cancerígena.

O site onde os produtos eram comercializados está fora do ar e com uma nota de esclarecimento, que explica que a proibição se deve pela falta de registro e não por questões sanitárias.

A proibição veio junto com a polêmica sobre a paçoca com substâncias cancerígenas e a suspensão de outros produtos, como potes de palmito picado da marca Mega Sabor.

Registro da Anvisa: importância e como checar

O registro da Anvisa tem como finalidade o controle sanitário e, consequentemente, a saúde dos consumidores. Para ser aprovado, os produtos alimentares para bebês e crianças passam por testes que avaliam seus ingredientes e embalagem, além da qualidade do processo de fabricação. Nessa categoria, eles precisam conter requisitos mínimos necessários para promover práticas saudáveis relacionadas a alimentação dos pequenos.

Por isso, na hora de escolher fornecedores de alimentos caseiros é importante buscar aqueles que possuem autorização da Anvisa para atuar. Para isso, basta checar se no rótulo do produto contém o número de registro ou ainda consultar pelo nome ou marca no site.

Alimentação infantil