Existe um tipo de depressão pós-parto mais leve que atinge 60% das mamães

mamae e bebe maos 032017 1400x800
Irina Bg/Shutterstock

Parece quase improvável já que sempre se espera que o período da gestação e do nascimento do bebê seja apenas de alegrias e emoções positivas, porém a depressão pós-parto atinge cerca de 15 a 20% das mulheres. O momento de adaptação para toda a família não é fácil e precisa ser superado em conjunto, uma vez que existem quadros mais leves de depressão que passam quase que desapercebidos por quem está ao redor da nova mãe.

Como e quando ocorre a depressão pós-parto?

A depressão pós-parto é definida como aquela que ocorre nas primeiras quatro a seis semanas após o parto. No entanto, em muitos casos, a depressão começa já antes do nascimento do bebê, nas últimas semanas de gestação, persistindo no puerpério, o que leva alguns autores a preferir o termo peri-parto para caracterizar o período de risco de incidência.

O quadro mais leve e transitório de depressão, conhecido como “maternity blues”, chega a acometer 60% das mulheres no pós-parto. Os sintomas como tristeza, choro fácil e desânimo são sentidos nos primeiros dias, logo após o parto, mas desaparecem com o tempo, em questão de uma ou duas semanas.

relato depressao pos parto 1016 1400 800
Marjan Apostolovic/shutterstock

As mulheres que tiveram depressão pós-parto podem ter uma gestação subsequente sem problemas. No entanto, é preciso ficar alerta aos sintomas que, possivelmente, podem se manifestar de novo. O tratamento pode ser medicamentoso, sempre com orientação de um especialista, principalmente se a mãe estiver amamentando o bebê. 

Outras dicas sobre depressão