mulher

Após superar relação abusiva, ela descobriu o real amor e marcou sua luta na pele

relacionamento abusivo 07 18 1400 800
Gentileza de Kellyane Gomes Vasconcelos

Identificar um relacionamento abusivo é muito difícil, ainda mais para quem acredita estar perdidamente apaixonado. A contadora Kellyane Gomes Vasconcelos, de 28 anos, viveu uma relação assim por três anos com o ex-marido. Mas hoje, um novo amor trouxe de volta a esperança que já havia acabado.

Relacionamento abusivo: a história de Kelly

Kelly namorou o ex-marido por dois anos e engravidou. Os dois decidiram se casar para formar uma família com o bebê que ia chegar. Antes de se casar, ela percebia que o namorado tinha um ciúme descontrolado, mas para ela, era um excesso de cuidado da parte dele.

“Ele dava indícios de ser um homem abusivo em algumas atitudes, mas eu não percebia porque estava muito apaixonada e não tinha muito conhecimento sobre abuso e manipulação.”

As coisas pioraram depois do casamento. O ciúme se transformou em desconfiança, acusações e agressões. “Ele me puxava meu cabelo e me empurrava quando eu ainda estava grávida”, contou Kellyane.

Nascimento na filha

Ela tinha esperanças de que as coisas melhorassem com o nascimento do bebê, mas só pioraram. “Uma vez ele me bateu na frente da minha filha e ela lembra disso até hoje.”

Por várias vezes ela dizia que ia terminar, mas ela desistia por causa do terror psicológico que ele exercia.

“Ele dizia que se eu me separasse dele, homem nenhum iria se relacionar com uma mulher louca (eu) e que tivesse filho com outro”.

kelly relacionamento abusivo 07 18 1400
Gentileza de Kellyane Gomes Vasconcelos

Deprimida, abatida e perdendo peso, Kelly entrou em uma depressão e após três anos sendo agredida, decidiu dar uma basta na situação por causa da filha.

“Comecei a pensar na minha filha, no quanto ela precisaria de mim ao longo da vida e que se eu adoecesse ela sofreria com minha ausência ou até minha perda (se acaso algo muito ruim me acontecesse)”, revelou.

Fim da relação e abuso por mensagem

Kelly voltou para a casa dos pais com a filha e os abusos e ameaças continuaram por mensagens, mas ela não cedeu e se manteve firme em sua decisão. “Nunca me arrependi”, afirmou.

O que a ajudou muito foram os grupos de apoio no Facebook dos quais ela começou a fazer parte. Lá, ela e outras mulheres que sofriam com a mesma coisa compartilhavam as histórias como forma de desabafo e uma tentava ajudar a outra.

Essa fase não foi fácil. Ela foi procurar por ajuda psicológica e passou a tomar remédios para ajudá-la a se estabilizar psicologicamente.

Com tantas preocupações e decepções, Kelly não queria mais se relacionar com nenhum outro homem, mas um novo amor estava a caminho e que ele iria ajudá-la.

Um novo amor devolveu as esperanças

Caio apareceu do nada na vida de Kelly. Eles tinham vários amigos em comum e o perfil do Facebook da contadora chamou a atenção dele.

Eles começaram a trocar mensagens pelas redes sociais, até que Kelly resolveu dar uma chance a ele.

relacionamento abusivo 07 18 1400
Gentileza de Kellyane Gomes Vasconcelos

Caio já sabia que Kelly tinha passado por um relacionamento abusivo, pois ela usava o Facebook para falar sobre o assunto.

“Ele me conquistou desde o primeiro encontro com seu jeito pacífico e compreensível”.

O namoro aconteceu de forma natural, depois de mais alguns encontros eles foram ficando mais próximos e Caio foi conquistando a confiança de Kelly a medida que demonstrava compreensão pelo que ela tinha passado.

Desde o começo Caio apoia Kelly e tenta ajudar a amada a amenizar os traumas e as marcas que o relacionamento abusivo deixou.

“Ele me ouve, me apoia e me ampara em meus momentos de ansiedade e de melancolia (marcas que o abuso deixou em mim)”.

Além disso, ele também ajuda Kelly a recuperar a autoconfiança e a autoestima diariamente, acompanhando-a em algumas sessões de terapia e motivando-a nos estudos e na carreira.

“O Caio me incentiva a ser melhor a cada dia, uma profissional melhor, uma mãe melhor. Ele me dá esperança e me transmite paz e segurança”, disse Kelly.

O namoro com Caio é um relacionamento saudável, que trouxe para Kelly uma nova esperança em relação ao amor.

“Entendemos a individualidade um do outro, não gostamos de cobranças nem de excessos, sempre dialogamos para achar um equilíbrio em nossa relação”

O namorado sabe que Kelly ainda não superou o que enfrentou com o ex-marido e que isso vai demorar bastante, mas ele tenta fazer com que ela não se sinta culpada nem sozinha.

"Ele fala que eu ainda estou muito ferida na alma por conta dos abusos no passado e por isso, busca um cuidado enorme comigo", comentou Kelly.

Kelly fez tatuagem que representa a superação

Atualmente ela comemora duas grandes conquistas: o fim da faculdade de ciências contábeis e a volta para o mercado de trabalho.

abuso tatauagem 07 18 1400
Gentileza de Kellyane Gomes Vasconcelos

Para simbolizar essa fase de aprendizados e conquistas, ela fez uma tatuagem com as palavras resistência e luta.

“Ela marca o fim de um ciclo doloroso e o início de uma grande jornada que me levará a lugares altos”.

Para Kelly, é muito difícil apagar as marcas do abuso, mas não impossível. Ela luta todos os dias para aprender a lidar com tudo o que enfrentou.

“Hoje, meu coração ainda carrega a marca das feridas e do abuso, mas é leve e está conhecendo a felicidade de ter uma relação de amor e respeito”, finalizou Kelly.

Como identificar um relacionamento abusivo