Para tratar filho, mãe começa a vender doces e arrecada muito mais do que imaginava

henri 1 ano 0717 1400x800 3
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

Carolina Heras é mãe do pequeno Henri, que tem apenas 1 aninho e já precisou passar por três cirurgias, sendo duas cardíacas. O bebê é portador de Síndrome de Down e foi diagnosticado com uma cardiopatia congênita um dia depois do parto. Para conseguir bancar seu tratamento, Carolina teve a ideia de criar a Brigadeiro do Bem e, graças ao sucesso de venda dos doces, o menino vem se desenvolvendo bem.

Descoberta da síndrome

henri 1 ano 0717 1400x800
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

A família, que mora em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, soube que a criança era portadora de uma síndrome na 12ª semana de gestação, após realizar uma translucência nucal – ultrassom em que é medida a nuca do bebê.

Para saber de qual síndrome se tratava, seria necessário realizar uma amniocentese, que é a retirada de líquido amniótico do abdome materno para análise. Como este exame poderia provocar um aborto, Carolina optou por não fazê-lo.

“Na 22ª semana eu fiz um exame que avalia o coração do bebê e poderia até indicar Síndrome de Down, já que 50% dos portadores têm cardiopatias, mas o exame não conseguiu diagnosticar nenhum problema cardíaco”, comenta sobre o pré-natal.

Diagnóstico de cardiopatia

henri 1 ano 0717 1400x800 2
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

A cardiopatia só foi diagnosticada um dia após o parto por meio de exames cardíacos, como o eletrocardiograma. A confirmação de Síndrome de Down aconteceu um mês depois disso, com o resultado do cariótipo em mãos.

“O Henri nasceu com todas as características de Síndrome de Down, olho puxadinho, orelhas menores; o exame foi apenas para confirmar”, comenta Carolina.

Por causa do problema cardíaco, o bebê aspirava o leite para o pulmão ao invés de engoli-lo. Isso fez com que ele tivesse quatro pneumonias em apenas um mês.

Além de duas cirurgias cardíacas, Henri também precisou de uma operação para corrigir o refluxo que tinha e deve ser submetido a mais uma para tratar sua cardiopatia congênita. "Será a última e definitiva, se Deus quiser", torce Carolina.  

Tratamento caro 

henri 1 ano 0717 1400x800 4
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

Por causa das cirurgias e das pneumonias, o bebê já foi internado algumas vezes e precisou do acompanhamento de uma fonoaudióloga, mas seu plano de saúde não cobria tal tratamento.

“A fono disse que ele precisaria de pelo menos 5 sessões para voltar a mamar porque no hospital ele se alimentava por sonda. Como precisava de dinheiro do dia para a noite para ele fazer as sessões, eu e meu marido pensamos em tentar vender as coisas de casa, como a TV. Dormi e acordei com a ideia de vender brigadeiros”, relembra Carolina.

Venda de brigadeiros para pagar tratamento do filho

“Eu pensei: vendo a caixinha com 4 brigadeiros a R$ 10; acho que consigo vender umas 20 e conseguir R$ 200. Mas acabei vendendo muito mais do que eu esperava”, comemora a mãe.

Após fazer um post em um grupo no Facebook com mais de 112 mil mulheres, a mãe de Henri recebeu a encomenda de 70 caixinhas de brigadeiro logo de início. Até pessoas de fora do país entraram em contato para ajudar.

No início até brasileiros que moram no exterior entravam em contato oferecendo ajuda em dinheiro. "No começo, fiquei meio 'assim', porque o intuito era vender brigadeiro, mas pediram para eu aceitar porque meu filho iria precisar”, relembra. Agradecida pela ajuda que recebeu, Carolina fazia questão de mandar vídeos do filho para as pessoas que fizeram doações para eles acompanharem o desenvolvimento do bebê.

henri 1 ano 0717 1400x800 5
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

O negócio deu tão certo que agora, um ano depois, Carolina recebe encomendas do Brasil inteiro e compra mais de 120 latas de leite condensado por mês para dar conta da demanda. E o melhor: a família já não precisa mais de doações para pagar o tratamento de Henri, que inclui sessões de fono e de fisioterapia, despesas com o plano de saúde e um leite especial caro porque o bebê é alérgico a lactose.

"O Brigadeiro do Bem está indo muito bem e continua sendo para o Henri. Inclusive, estamos abrindo um buffet delivery graças ao aumento nas vendas", comemora a mãe, que concilia o negócio com o trabalho de consultora de vendas em uma escola de inglês. 

Como comprar os brigadeiros?

brigadeiro do bem 0717 1400x800
Arquivo Pessoal/Carolina Heras

Carolina comercializa os doces para o país inteiro. Os brigadeiros agora também estão disponíveis em alguns pontos de venda em Ribeirão Preto, onde mora a família. Para fazer encomendas online, acesse a página da Brigadeiro do Bem no Facebook ou entre em contato pelos números (16) 99134-5801 e (16) 99732-1234.

Histórias inspiradoras: