mulher

Em um dos momentos mais bonitos da Rio 2016, atletas desistem de prova para se ajudarem

atleta ajuda adversaria 0816 1400x800
Ian Walton / Staff/Getty Images

Duas atletas promoveram uma cena inspiradora e deram uma lição sobre o que é espírito olímpico em uma prova feminina de atletismo durante a Olimpíada Rio2016. Abbey D´Agostino, dos Estados Unidos, e Nikki Hamblin, da Nova Zelândia, estavam completando 3 mil dos 5 mil metros de prova quando se envolveram em um acidente.

A neozelandesa caiu e a americana, que vinha em seguida, não conseguiu diminuir a velocidade e, na tentativa de não cair sobre a adversária, acabou se machucando. Mas o que surpreendeu a todos foi o que aconteceu depois.

Espírito olímpico 

Ao invés de ficarem revoltadas por terem praticamente perdido a chance de conseguir uma boa colocação na prova e terem tentado voltar a correr, as atletas decidirem se ajudar.

A americana levantou logo após o tombo para ver se a sua adversária na prova estava bem e ajudá-la a continuar correndo. Assim que conseguiu fazer sua adversária levantar, Abbey percebeu que havia torcido o joelho direito e que não conseguia correr.

Neste momento, ao invés de continuar a prova, foi a vez de Nikki ficar ao lado de Abbey até ela se recuperar e só depois terminarem a prova. As duas foram as últimas colocadas na competição. A atleta da Nova Zelândia terminou a corrida com 16 minutos e 43 segundos e ficou na linha de chegada até Abbey chegar, com dificuldade, menos de 20 segundos depois.

Abraço de agradecimento 

Depois de terem conseguido finalizar a prova, as duas deram um forte abraço de agradecimento.  

“Quando eu caí, eu pensei: ‘o que está acontecendo, por que eu estou no chão?’ e, de repente, havia uma mão no meu ombro como se dissesse: ‘levante, levante, nós temos que terminar isso’”, comentou a neozelandesa em entrevista ao site britânico Daily Mail.

“Eu sou muito grata à Abbey por ter feito aquilo por mim. Aquela menina é o espírito olímpico aqui”, disse agradecida a atleta após ter sido ajudada pela sua adversária.

A corredora da Nova Zelândia ficou tão impressionada com a atitude da americana que fez questão de ressaltar várias vezes como tinha ficado impressionada com sua solidariedade. “Eu estou muito impressionada e inspirada pelo que ela fez por mim. Eu nunca tinha sido apresentada a ela. Eu nunca tinha visto essa menina antes. Isso não é apenas incrível?”, comemorou.

As duas vão voltar a competir juntas na final desta mesma prova e, apesar de estarem com os piores tempos da prova, já são exemplos de inspiração, bem como o atleta africano que virou herói olímpico ao não desistir de seu objetivo. 

Inspiração olímpica: Fala emocionante de Serginho, aos 40 anos, faz equipe de vôlei crescer na Olimpíada