mulher

Dudu Nobre crê que excesso de exercício tenha levado filha ao hospital: é possível?

Olívia Soares, filha de Dudu Nobre e Adriana Bombom, voltou a sofrer um desmaio, desta vez na escola. A jovem de 15 anos precisou ser levada para o hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro), onde foi atendida e liberada no mesmo dia.

Ao jornal Extra, Dudu Nobre afirmou que o desmaio foi provocado pelo excesso de atividades físicas praticadas pela filha e que tem tentado fazer com que Olívia reduza a quantidade de exercícios praticados.

Atualmente, a jovem faz crossfit, judô, Jiu-Jitsu, levantamento de peso e musculação seis vezes por semana. Além disso, ela ainda segue uma dieta prescrita por uma nutricionista.

Cerca de dois meses atrás, Olívia já havia desmaiado na academia. Na época, o sambista disse que a filha havia emendado aulas de levantamento de peso e Jiu-Jitsu sem ter se alimentado adequadamente. No hospital, ela foi diagnosticada com anemia.

Adolescente pode treinar pesado?

A reportagem ouviu três profissionais de educação física e todos concordaram: atividades físicas podem ser praticadas por todos, desde que sejam respeitados limites e individualidades.

“O trabalho com o adolescente tem que ser bem parecido do feito com o adulto, tem que ter cuidados em qualquer idade. Qualquer esporte é viável, trabalho de força pode ser feito, mas tudo com orientação adequada”, explica o personal trainer Rafael Lund.

De acordo com o personal trainer e coach Cristiano Parente, características físicas individuais, intensidade e histórico de treino também devem ser levados em consideração na hora de o profissional montar o cronograma de treinos do aluno.

“Temos que pensar em manter um padrão levando em consideração as características físicas, a fase da vida, a idade, alimentação, descanso e o histórico de treinamento e desenvolvimento dela”, lista Parente.

Existem restrições?

Segundo os educadores físicos entrevistados pelo VIX, não existe problema em fazer diferentes tipos de atividade física, como é o caso de Olívia. Contudo, é preciso ter cuidado para que não haja excesso de treino.

“O exercício é remédio, só que a diferença entre veneno e remédio é a dose. Se você exagerar, vai ser ruim para o seu corpo e para o seu organismo. Tudo em excesso é ruim”, explica Lund.

Ou seja, não tem problema praticar inúmeras atividades físicas desde que as diferentes modalidades não sejam praticadas no mesmo dia, já que isto pode provocar sobrecarga no corpo.

“É necessário respeitar as fases iniciais de adaptação e de aprendizagem de movimento para depois treinar de forma intensa, principalmente na adolescência, que é quando o cérebro tem que ir reaprendendo constantemente a se movimentar com um corpo que está ganhando novas dimensões”, explica Parente.

Tempo de descanso

Tão importante quanto malhar é saber respeitar os tempos de descanso. Por isso, é indispensável que seja feito um cronograma de treinos para entender quais são as partes do corpo mais exercitadas em cada atividade e quanto deve ser o tempo de recuperação até que elas voltem a ser trabalhada.

Em geral, recomenda-se um dia de descanso entre o treino do mesmo grupo muscular.

Desmaio é sinal de alerta

O desmaio pode ser provocado por uma série de fatores, mas sempre serve de sinal de alerta. “O desmaio quer dizer que o corpo não vai bem, que ele chegou ao extremo e que a saúde está em risco. É preciso ter noção dos próprios limites, tratando-se de um adolescente, fica mais difícil reconhecer estes limites”, comenta o educador físico mestre em treino em alto rendimento e nutricionista Daniel Dezan.

Entre as causas de desmaio estão: atividade física em excesso, falta de nutrientes, falta de descanso, queda na pressão, entre outros.

Como saber se estou exagerando?

Segundo Dezan, o corpo dá sinais claros de que está sobrecarregado pelo treino e é preciso ficar atento a eles. Entre os mais comuns estão insônia, fadiga crônica, mau humor, perda excessiva de peso e dores musculares.

Em alguns casos, a pessoa também pode apresentar alterações no apetite e até sintomas como irritabilidade, falta de atenção e de concentração.

Que dieta devo seguir?

Não é só o cronograma de exercícios que deve ser individualizado: a dieta também deve estar de acordo com os objetivos de cada pessoa e, principalmente, suas necessidades.

“A dieta deve proporcionar à pessoa a condição de realizar o exercício de maneira eficaz e também proporcionar uma recuperação adequada. Quanto mais intensa a atividade, mais energética deve ser a dieta”, explica Dezan.

Segundo o nutricionista, como Olívia pratica diversas atividades de alta intensidade, ela deve seguir uma dieta energética. Ou seja, alimentação low carb, dieta cetogênica e jejum intermitente não são boas opções neste caso. 

Atividade física em excesso