Por que Sabrina Sato foi completamente proibida de beber esses 2 chás tão comuns?

Sabrina Sato foi proibida de consumir dois chás, em específico. A restrição veio do chefe Ipe Aranha, responsável por um projeto detox que tem ganhado adesão de diversas celebridades - e que Sabrina adotou algum tempo após dar à luz, com o objetivo de emagrecer antes de desfilar no Carnaval.

O projeto precisou ser adaptado para Sabrina e o que mudou foram os chás prescritos para a dieta.

Dieta de Sabrina Sato

Conforme explica Ipe ao VIX, o programa detox desenvolvido por ele não envolve, por exemplo, a ingestão exclusiva de líquidos (como ocorre em outros planejamentos), e sim de alimentos que estimulam a expulsão de toxinas acumuladas no organismo, assim promovendo um melhor funcionamento dele.

sabrina sato gravida malhada 0219 1400x800 0
sabrinasato/instagram | sabrinasato/instagram

Ainda que o programa seja baseado em uma alimentação consistente, alguns chás inclusos nele também dão uma bela ajuda na luta contra a retenção de líquido – mas nem todo mundo pode ingeri-los. É o caso de Sabrina, que teve de substituir algumas dessas bebidas por outra.

De acordo com Ipe, o programa respeita a individualidade do organismo de cada um e pode ser adaptado, algo que foi necessário fazer com a apresentadora. Isso porque, como o leite é fabricado a partir do que está “disponível” no corpo da mãe, ingerir certas coisas pode prejudicar a saúde do bebê através da amamentação.

“Tivemos de tirar ingredientes que poderiam dar cólica na pequena”, diz ele, se referindo a dois chás.

Chás proibidos para Sabrina

Chá de hibisco

hibisco cha 0518 1400x800
Africa Studio/Shutterstock

Famoso entre quem busca eliminar líquido e toxinas retidas no corpo, o chá de hibisco é, segundo Ipe, bastante diurético, algo que ajuda nesse processo todo. Para mulheres que estão tentando engravidar, que estão gestantes ou amamentando, porém, ele não é indicado, já que pode trazer alterações hormonais, diminuir a produção de leite (pela diurese) e gerar desconfortos no bebê.

Além de grávidas e lactantes, quem sofre de pressão baixa, gastrite ou faz uso de anticoncepcionais também deve evitar o chá de hibisco (ou ao menos consultar um especialista antes de consumi-la).

Chá de cavalinha

cha de cavalinha 0119 1400x800
Chamille White/shutterstock

Assim como o hibisco, a cavalinha é uma planta medicinal conhecida por ajudar a desinchar e até a queimar gorduras, efeito gerado pelas propriedades adstringentes, diuréticas, anti-inflamatórias e desintoxicantes da erva. Para lactantes e gestantes, porém, ele também não é indicado, já que também pode alterar níveis hormonais, a produção de leite e o bem-estar do bebê.

Chá liberado para substituir: dente-de-leão

Para substituir os chás de hibisco e cavalinha e ainda assim contribuir para a desintoxicação do organismo de Sabrina, Ipe recorreu ao dente-de-leão. Essa erva, por sua vez, limpa o trato digestivo e “desentope” células de gordura que acumulam toxinas, tornando-as mais fáceis de se eliminar.

cha dente de leao 0419 1400x800
madorf/Shutterstock

Sabrina Sato: corpo, maternidade e mais