Com esta pequena tática, famosa passou a ficar satisfeita com 1/2 prato: como fazer?

View this post on Instagram

Ahhh Bahia 📿✨

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Fazer escolhas inteligentes de alimentação é algo essencial a se fazer para perder peso, mas de nada adianta comer somente itens saudáveis e montar pratos imensos, comendo a todo tempo e sem critério.

Isso não significa, é claro, que passar fome seja o caminho para um corpo em forma, mas sim que o ideal é encontrar o meio-termo e, principalmente, saber identificar quando o organismo já está saciado.

Deixar de comer com exagero, porém, pode ser um desafio (especialmente para quem lida com compulsões alimentares, por exemplo), e a influencer Gabriela Pugliesi recentemente revelou uma “técnica” bem simples que a ajudou a concretizar essa missão (e vem ajudando muita gente).

View this post on Instagram

Só vibrando amor e paz 🍃

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Como ficar satisfeita com menos: pequena tática

Adepta da alimentação intuitiva, Gabriela contou, em um vídeo publicado em seu canal do YouTube, que nem sempre foi regulada na hora de comer. Segundo ela, ela não prestava muita atenção em si (ou na comida) na hora de se alimentar e estava sempre com fome até passar a fazer mudanças simples nas refeições.

“Porque eu sou muito acelerada, muito rápida, comia assim em um segundo. Eu não tinha ideia do quão rápido eu comia. Hoje em dia, metade do prato eu estou estufada já, porque eu estou presente ali, eu estou consciente, eu estou entendendo o que tá acontecendo dentro. A fome muda!”, explicou a blogueira.

View this post on Instagram

Vem Jeri q sou toda sua #johnjohnrocksjeri2019

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Além disso, ela também comentou que procura ter essa reflexão e entender o que o corpo realmente quer quando fica com vontade de comer “fora de hora”. “Hoje em dia que eu penso ‘eu tô com fome ou é gula?’”, declarou Gabriela. Para complementar, a nutricionista Fernanda Mello, também presente no vídeo, explicou outro fator que é preciso ser levado em consideração.

Segundo ela, é comum que as pessoas, além de não prestarem total atenção às refeições que fazem, confundam fome com sede e acabem comendo mais do que precisariam. O segredo, segundo elas, é ter uma “conversa interna”, e, dessa forma, fazer as melhores escolhas para todos os momentos, dando atenção total ao momento das refeições.

Assista ao vídeo:

Como adotar a técnica?

Apesar de parecer algo inofensivo e natural, comer sem estar com fome e não ter noção de quando o corpo está realmente satisfeito em uma refeição pode ser um fator determinante quando o assunto é peso.

De acordo com a nutricionista comportamental Cynthia Antonaccio, como diversos fatores influenciam a atenção das pessoas à comida (como falta de tempo, ansiedade ou a televisão ligada), buscar novas dietas para controlar a alimentação sem estar realmente consciente no momento das refeições pode gerar frustrações e compulsões.

Isso, segundo ela, pode ser resolvido – e sem sofrer, já que o método do “mindful eating” preza mais pela relação que a pessoa tem com a comida e não exatamente nos alimentos que ela está consumindo. Desta forma, é possível comer menos sem fazer dieta e ainda eliminar a ansiedade diante da comida.

Confira dicas práticas para aplicar a técnica no dia a dia:

Coma sem distrações

Para especialistas qualificados pelo Mindfulness Based Eating Awareness Training (MB-EAT), uma das principais formas de passar a prestar mais atenção no próprio corpo na hora das refeições é simples: não ter distrações.

Sem a televisão, o celular ou até uma pendência do trabalho para ser resolvida durante uma refeição, é muito mais fácil de focar na refeição e, dessa forma, perceber melhor as sensações de saciedade.

View this post on Instagram

Sextou 😎

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Crie “rituais” para comer

Outro fator importante além de deixar de lado a TV e o celular na hora de comer é criar um ambiente agradável e harmonioso para as refeições. Apesar de parecer algo muito simples, sentar-se à mesa, montar um prato bonito e dar uma garfada por vez, mastigando tudo muito bem, pode fazer toda a diferença.

“Dessa forma, o presente é aproveitado a cada garfada, ao invés de sempre esperar pela próxima”, explica Cynthia, reforçando que, sempre que possível, isso também deve se aplicar aos lanches feitos ao longo do dia.

Fique de olho no organismo

Entender o corpo é essencial para adotar o “mindful eating”, então, segundo a nutricionista, uma boa ideia é se concentrar nos sinais internos dele antes das refeições, prestando atenção em coisas como a respiração, os sentimentos e a fome.

A partir disso, a ideia é identificar o tamanho da fome e pensar no quanto é preciso comer naquela refeição para saciá-la, evitando por exemplo, o “comer emocional”.

View this post on Instagram

🦎

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Identifique seus gatilhos

O exagero nas refeições nem sempre vem pela fome em excesso; na hora de comer, a raiva, tristeza, euforia e outros fatores podem motivar as pessoas a comer mais do que precisariam para manter o corpo saciado.

Gatilhos sociais também podem ter parte nisso, segundo Cynthia, que os exemplifica como momentos em que é difícil recusar um pedaço de bolo ou quando se come apenas para que a comida não seja jogada fora.

“De forma geral, são poucas as vezes em que a comida é usada para saciar a fome”, explica a nutricionista, aconselhando que as pessoas identifiquem momentos em que elas se sentem impelidas a comer sem necessariamente ter fome para isso.

View this post on Instagram

Eu sou da Bahia 📿 #Axé

A post shared by Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) on

Alimentação saudável