mulher

Pai de Rodolffo conta sua história e mostra fotos em meio a debate e críticas à fala do filho

joao luiz rodolffo 0421 1400x800
Reprodução/Rede Globo

Durante o último “jogo da discórdia” no “Big Brother Brasil 21”, o participante João Luiz revelou ter se magoado com uma fala recente do cantor Rodolffo Matthaus, que comparou o cabelo do professor a uma peruca de homem das cavernas - e a reação do sertanejo gerou um debate imenso que foi marcado não apenas por muitas críticas na web, mas também por uma fala do próprio pai do cantor.

Discussão entre João e Rodolffo gera debate na web

No “BBB 21”, após ser um dos escolhidos para o castigo do “monstro”, o cantor Rodolffo comparou a peruca de homem das cavernas que teria de usar aos cabelos crespos de João Luiz. Diante da comparação ofensiva, o professor ficou magoado e, no último “jogo da discórdia”, se abriu para os demais participantes. A fala, porém, não teve efeito de aprendizado em Rodolffo.

Após a fala de João, Rodolffo voltou a afirmar que gostaria de ser ensinado em vez de criticado, disse mais uma vez que o local onde cresceu (interior de Goiânia) não tem espaço para discussões como esta e que não poderia ser racista visto que tem pessoas negras na família. Na web, internautas acharam problemático o discurso de que pessoas negras devem ensinar sobre racismo e apontaram que Rodolffo já tem recursos para buscar informações há muitos anos.

Em meio ao debate, começaram a circular fotos do pai do sertanejo após ele afirmar, em resposta a João, que ele teria os cabelos iguais aos do brother. Atualmente, ele não tem, mas fez questão de mostrar fotos do passado e falar das origens para defender o filho.

No Instagram oficial do cantor, o pai de Rodolffo publicou uma série de fotos em que aparece mais novo, mostrando os cabelos crespos, e falou na legenda sobre a juventude. “Sou o Juarez, pai do Rodolffo e da Izabella. Meu pai era negro, venho de família humilde. Criei meus filhos na simplicidade que fui criado, olhando todos como iguais, ninguém melhor que ninguém”, disse.

Em seguida, ele lembrou também do preconceito que já sofreu. “O que eu ensinei a ele é que sempre devemos aprender. Mesmo aquilo que eu, da forma simples que sempre vivi, não pude ensinar. [...] Meus amigos me chamavam de ‘CACHOPA DE ABEIA’, ‘CHUPÉ’, ‘CABEÇA DE MICROFONE’, ‘CARUNCHO’, ‘ENXAME DE ARAPUÁ’, ‘FURMIGÃO’, eu não me importava. Isso nunca me colocou pra baixo, nem atingiu meu brilho. E o Rodolffo cresceu assim, onde essas brincadeiras eram comuns e não pra machucar”, disse.

Além disso, ele falou também da evolução das pautas sociais, e apoiou o filho em seu discurso. “Hoje em dia a gente não sabe mais o que falar. Eu entendo que o mundo mudou, e que isso é ótimo. E como o mundo não mudou da noite para o dia, o ser humano também está em evolução. É muito triste ver a tentativa de alguns perfis execrarem meu filho, fazer dele um monstro perante o público, mas não vão conseguir. Rodolffo tem um jeito chucro, interiorano, sem maldade, que fala o que vem à mente... Meu filho cresceu livre, começou a trabalhar muito cedo, numa realidade muito diferente dessa que vivemos. Ele é honesto, verdadeiro. E falho como todos nós”, afirmou.

Na internet, o post repercutiu, e internautas fizeram lembretes válidos, como o de que faltou um pedido de desculpas de Rodolffo, o de que ele cresceu em uma época totalmente diferente da do pai e de que ter pessoas negras da família não faz com que ofensas racistas sejam menos ofensivas.

Racismo na televisão