mulher

Com foto honesta, Carolinie Figueiredo fala de pressão estética: "TV rompeu minha sanidade"

cabelo de carolinie figueiredo 0418 1400x800
Raphael Dias/TV Globo

Sob os holofotes desde pequena, a atriz Carolinie Figueiredo é, hoje, bastante conhecida por seu discurso de autoestima e autoaceitação – mas isso nem sempre foi assim e, recentemente, ela usou o Instagram para falar sobre como já foi pressionada a emagrecer no passado, algo que gerou ódio ao próprio corpo, bem como a fez tomar atitudes nada saudáveis.

Carolinie Figueiredo conta como TV afetou sua autoestima

Na rede social, Carolinie Figueiredo publicou uma foto na qual mostra seu corpo como ele realmente é – e, apesar de ela ser vista como magra, não deixou de sofrer com o padrão estético, algo especialmente presente na vida da atriz justamente pela exposição ao público em seus trabalhos televisivos. No post, ela disse viver um dilema na forma como se relaciona com o corpo, e relembrou sua trajetória nessa questão.

“Sou atriz desde oito anos e aos quinze comecei a receber pressão do mercado, da TV, das agências e dos diretores pra emagrecer. Ser magra (bem magra) era um pilar de realização e na minha carreira a única oportunidade de ser escalada pra testes”, disse Carolinie, afirmando que, junto de outros fatores não relacionados a trabalho, isso fez com que ela buscasse formas perigosas de perder peso.

“Aos quinze, junto com a separação dos meus pais e a primeira crise de engordar, comecei com as anfetaminas. São dezesseis anos engordando e emagrecendo. Desenvolvi crises de ansiedade, repúdio ao corpo, compulsão! Nas duas gravidezes, 30 quilos. Foram os quilos e ficaram as marcas, a textura”, comentou a atriz, lembrando que, na época, aceitar o próprio corpo como ele é não era bem visto.

“’Gorda demais pra TV’, lembro você que há treze anos atrás eu era estrela de um programa da Globo onde estar acima do peso não era resistência nem empoderamento. Era escárnio e gordofobia. Apesar de ter aberto caminhos na autoestima de toda uma geração, a verdade é que trabalhar na TV só rompeu com meus padrões de sanidade mental em relação ao meu corpo”, confessou.

Além disso, ela também abordou o fato de que, apesar de sofrer com pressões estéticas, ela ainda assim não é gorda. “’Magra demais pro mercado plus size’, depois fiz um filme e a pressão estética inverteu. Meu corpo curvilíneo e cheio não se adequava às novas medidas do que era o mercado. ‘Engorda ou libera o posto’”, relatou Carolinie, afirmando que, hoje, procura se libertar de padrões.

“Eu visto 43, eu não me adequo a roupas nem a padrões que o externo e principalmente o entretenimento tenta me enclausurar”, concluiu, recebendo então uma série de elogios nos comentários do post. “Te admiro como mulher, como mãe e como atriz. Obrigada por nos mostrar como a vida da mulher realmente é”, disse uma seguidora. “Gratidão por resistir e existir!”, disse outra.

Veja o post na íntegra:

Autoestima e autoaceitação