explore

Ao lado da família, Vitor Belfort faz apelo sobre irmã desaparecida há 17 anos

"Há 17 anos, minha irmã foi deixada no trabalho pela minha mãe e nunca mais foi vista", disse Vitor Belfort ao compartilhar um vídeo falando sobre o desaparecimento da irmã, Priscilla, em 2004.

O lutador gravou um vídeo ao lado da família, a esposa Joana Prado e os três filhos, para fazer um apelo sobre os casos de desaparecimento em todo o Brasil.

Vitor Belfort faz apelo e fala sobre irmã desaparecida

De acordo com Vitor, Priscilla desapareceu aos 29 anos de idade. Ela foi deixada no trabalho pela mãe, Jovita, no centro da cidade do Rio de Janeiro e nunca mais apareceu.

"Não conseguimos dar o último beijo, o último abraço e o último adeus", lamentou o lutador, que também fez um apelo sobre o número de pessoas que desaparecem por ano no Brasil.

"No Brasil, cerca de 80 mil pessoas desaparecem por ano e a metade são crianças e adolescentes. Convido todos vocês a virem lutar esta luta comigo, minha família e todas as famílias afetadas por este mal, agradecemos. Esta mensagem é para todos os gurus da tecnologia por aí: temos que criar maneiras para que possamos diminuir esse número e acabar com a indústria do tráfico sexual / indústria do tráfico humano / adoções ilegais e tráfico de órgãos", escreveu o lutador no Instagram.

Vitor contou, ainda, que seus filhos não conheceram a tia Priscilla e perguntou o que cada um gostaria de dizer a ela. A caçula, Kyara, disse: "Pri, eu queria muito conversar com você". A segunda filha do casal, Victória, afirmou: "Pri, eu queria te dar um abraço bem forte". E o primogênito Davi, que pratica futebol americano, falou: "Pri, eu queria muito que você fosse para os meus jogos".

Antes de encerrar o vídeo, o lutador e a família, que estava com camisetas com a foto de Priscilla estampada, fizeram um coro emocionante: "E agora, para terminar, eu gostaria de fazer um pedido: 'Volta Priscilla'".

Pessoas desaparecidas