Garotinho que raspou cabelo para ficar igual ao amigo prova: preconceito não nasce com a gente

garotinho raspa cabeca amigo 1120 1400x800
Inside Edition

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender. E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar". A famosa frase do líder sul-africano Nelson Mandela foi comprovada por um garotinho que deu uma lição ao mundo ao decidir raspar seu cabelo para ficar igual ao seu melhor amigo.

A história aconteceu nos Estados Unidos em 2017 e se espalhou nas redes sociais. Na época, o pequeno Jax, então com 5 anos, surpreendeu a mãe ao pedir para cortar o cabelo igual ao do amiguinho Reddy para confundir a professora deles. A questão é que Reddy é um garotinho negro, e na visão de Jax eles poderiam ser confundidos pela professora apenas pelo corte de cabelo.

História inspiradora de Jax e Reddy

garotinho raspa cabeca amigo 1120 1400x800 cinco
CBS Miami

A história foi contada pela mãe do pequeno Jax em um post no Facebook. Lydia Stith Rosebush revelou a conversa que teve com o filho e fez uma reflexão importantíssima, que acabou viralizando.

Segundo Lydia, ela avisou ao filho que teria que cortar os cabelos. O menino, então, escolheu o corte desejado dizendo à mãe que queria raspar a cabeça para ficar parecido com o melhor amigo, que usava o cabelo assim. Ainda segundo a mãe, a intenção do garotinho era confundir a professora na escola.

garotinho raspa cabeca amigo 1120 1400x800 dois
Inside Edition

“Ele disse que não via a hora de ir para a escola na segunda-feira com o seu cabelo igual ao de Reddy porque desta forma a professora não seria capaz de diferenciá-los", escreveu a mãe.

O pequeno Jax queria pregar uma peça na professora e acreditava que isso seria muito divertido. Na cabeça dele, sem nenhum tipo de preconceito, a única diferença entre ele e Reddy era realmente o corte de cabelo.

garotinho raspa cabeca amigo 1120 1400x800 sete
CBS Miami

A publicação alcançou o mundo todo e virou até tema de reportagens em TVs norte-americanas.

“Se isso não prova que ódio e preconceito são coisas que são ensinadas, eu não sei o que é. A única diferença que Jax vê entre eles é realmente o corte de cabelo”, disse Lydia. Exatamente como disse Mandela anos atrás.

Reportagens na TV

Não foi apenas uma entrevista, foram várias. Diversos programas de TV conversaram com a dupla de amigos. A rede CBS Miami chegou, inclusive, a acompanhar os dois ao cabeleireiro e registrar o corte de Jax.

Em outra entrevista à TV, dessa vez ao programa Wave News, Reddy contou que também achou que eles ficaram parecidos. “Jax sou eu e eu sou o Jax”, disse o menininho.

Realmente a pureza das crianças tem muito a nos ensinar, não é mesmo?

Luta contra o racismo