explore

Vídeo de médico xingando técnica de enfermagem gera revolta; Conselho se pronuncia

medico estetoscopio 0220 1400x800
JethroT/Shutterstock

Recentemente, se espalhou pelo Twitter o vídeo de um homem ofendendo uma técnica de enfermagem enquanto era atendido por ela - e o fato de ele ser médico (e afirmar isso ao longo do vídeo) fez com que muita gente ficasse ainda mais indignada com a situação, que se passou em um hospital em Nova Iguaçu, município do Rio de Janeiro.

Vídeo de médico ofendendo técnica de enfermagem viraliza

O vídeo em questão (cuja autoria não fica clara) foi publicado no microblog pelo internauta Nilson Moura para expor a situação e logo se espalhou pela rede social, enchendo outros usuários de indignação. Isso porque, nele, um homem aparece destratando uma técnica de enfermagem e xingando a mulher, tudo enquanto afirma ser médico.

“Eu sou médico, eu aplico [a medicação], me dá. Dá que eu aplico, sua incompetente. É o que? Fala alguma coisa!” disse ele em tom de ameaça, seguindo com os insultos e afirmando que reclamaria com o superior da profissional em breve. “Miserável. Amanhã eu vou chegar no gerente geral do hospital e falar sobre você como médico. Você é uma miserável, sua fo****”, disse.

O vídeo logo viralizou e as pessoas se mostraram chocadas e furiosas com o comportamento do médico, posteriormente identificado como o psiquiatra José Gilberto Luna Sobrinho.

Diante da repercussão, o Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ) fez questão de se pronunciar sobre o ocorrido em seu perfil oficial no Twitter. Na nota, eles descreveram o caso como uma agressão, e disseram estar tomando medidas para apurar a situação.

"O Coren-RJ cobrará uma posição do Cremerj [Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro] em relação à atitude do médico Gilberto Luna, que fere a ética da conduta profissional, uma vez que impõe seu título de médico para exigir privilégios e fazer ameaças usando desta condição como prerrogativa", afirma o comunicado.

Médico se pronunciou

O próprio médico também se pronunciou em seu perfil no Instagram, afirmando que estava alcoolizado na situação e pedindo desculpas por seu comportamento. Conforme afirmou ele no vídeo gravado para se justificar, tudo aconteceu após uma celebração em que ele diz ter tomado muito vinho.

“Eu, ontem, me excedi na quantidade de vinho, e fui buscar atendimento para hidratação num hospital”, disse o profissional, ressaltando que foi “controlado pela felicidade” devido à expansão do centro médico onde ele atende. "Meu centro médico está virando um centro hospitalar, tem todas as especialidades médicas, a odontologia está fluindo, centro cirúrgico também, e não imaginávamos que fosse chegar a esse ponto", pontuou.

“Eu acabei mencionando palavras que não são adequadas a uma funcionária que eu realmente não conheço e nem lembro. Então eu venho de pronto pedir desculpa a esta funcionária”, afirmou, se desculpando também com a classe da enfermagem. Como muitos apontaram a situação como um abuso de poder por se tratar de um médico e de uma técnica de enfermagem, ele também explicou que estava em condição de paciente.

“Naquele momento eu não era médico, naquele momento eu era o Gilberto pessoa. Eu não sou médico 24 horas, assim como nenhum juiz é juiz 24 horas, nenhum delegado é delegado 24 horas, nenhum enfermeiro é enfermeiro 24 horas”, exemplificou o psiquiatra. As desculpas, porém, não convenceram todas as pessoas, e muitos internautas apontaram problemas em sua fala.

“Queria saber se foi lá olhar na cara da profissional e pedir desculpas olho no olho dela! Não foi né?”, questionou um internauta. “Se bebeu a ponto de precisar de tratamento médico não teria condições de permanecer em pé. Arruma outra desculpa, essa não cola”, disse uma segunda. “O vinho só tirou o filtro da sua opinião”, opinou uma terceira.

“Fico feliz que reconheceu o seu erro e está assumindo o que fez, mas colocar a culpa na beber não justificar nada você tratar as pessoas da forma que tratou”, observou mais uma internauta.

Polêmicas na web