Bonner defende Cacau Protásio ao vivo após racismo; artistas saem em apoio

cacau protasio close 1119 1400x800
Globo / Alex Carvalho

Recentemente, a atriz Cacau Protásio gravou cenas de seu novo filme, “Juntos e Enrolados”, em um Quartel-Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Alguns bombeiros que presenciaram as gravações mandaram áudios em grupos do WhatsApp com comentários ofensivos e racistas sobre a atriz.

As mensagens foram vazadas e, agora, Cacau se pronunciou sobre o assunto e está recebendo uma onda de apoio.

Cacau Protásio é vítima de ataques racistas

Instagram

Nos áudios, os bombeiros usam termos preconceituosos e pejorativos ao falar que Cacau é gorda e negra. Dizem que a filmagem era “lamentável” e “uma vergonha”. Além de tudo, ainda chamam os dançarinos que gravaram com a atriz de “viados”.

Na cena em questão, como Cacau esclareceu, ela fazia um número de dança com dançarinos vestidos com uniformes de bombeiro. Ela, que interpreta uma sargento do quartel, estava gravando uma passagem que seria um sonho de outro personagem do longa.

View this post on Instagram

Vídeo 1.

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

Muito emocionada, a artista desabafou sobre o episódio de preconceito: “Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz (...) E eu não mereço ser agredida, assim como nenhuma pessoa”.

“Racismo é crime. Você pode não gostar, mas tem que respeitar”, afirmou, dizendo que tirou prints de todas as mensagens racistas que viu sobre ela. “Eu sei que eu sou forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é muito triste”, lamentou.

Famosos e fãs saem em defesa de Cacau Protásio

william bonner jornal nacional 1119 1400x800
Rede Globo/Reprodução

Vários amigos famosos da atriz repudiaram os áudios ofensivos dos bombeiros. Durante o Jornal Nacional (Rede Globo) de quinta-feira (28), após a exibição de uma matéria sobre o caso, os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos demonstraram apoio à atriz.

"É uma atriz talentosa e é uma cidadã brasileira que merece respeito", disse o jornalista, sendo respaldado pela colega de bancada: "Todo o nosso respeito."

Marcos Pasquim, que também está no filme e gravou no quartel, gravou um vídeo para Instagram repudiando o episódio de preconceito. “Cacau Protásio é uma talentosa atriz com quase 20 anos de carreira. Mulher, negra, guerreira e que merece nosso respeito. Não há hipótese em que episódios de racismo possam ser tolerados. Racismo é crime e ponto”, disse o ator.

Anitta também comentou em um dos vídeos postados, pedindo que a atriz não se abale: “Ô, minha amiga, fica triste por causa de um bando de ignorante, não. Você tão inteligente, tão talentosa. Tão do bem. Vá atrás de seus direitos, mas não fique triste, porque eles não merecem. Te amo muitão”

Outra famosa a se manifestar foi a atriz Juliana Alves, que disse que os agressores falaram o que boa parte da população brasileira ainda acredita ser verdade.

Instagram

“Nesta foto estamos em cena, assim como ela estava na ocasião em que foi 'flagrada' por um bombeiro que ao contrário do que pensa, não fez jus a sua farda. Mas ele só expressou o pensamento de muita gente. Basta!!”, escreveu.

No Twitter, vários fãs estão comentando o caso:

Confira outros artistas que se manifestaram:

View this post on Instagram

Hoje eu cheguei ao meu trabalho com um negócio me incomodado que eu não conseguia identificar e só depois fui descobrir o que era. No início da tarde vi a Cacau Protásio falando sobre essa doença ideológica bem sucedida no mundo, mas que no Brasil tem sua versão mais perversa: O RACISMO. Aqui se o tal vem acompanhado de gordofobia, misoginia, homofobia é uma dose triplamente qualificada da vontade de matar que está no DNA do brasileiro mau elemento. Ele se alastra como um vírus incurável que baixa a imunidade da gente por horas, dias, meses...às vezes a vida toda. E não adianta dizer para eles que isso é crime. Não adianta. Crime hoje é mais banal que banana. ⠀ Cacau, estou muito com você. Você é maravilhosa na vida das pessoas e o seu coração é maior que esse estado de maldades que nos ocorre a toda hora.

A post shared by Érico Brás (@ericobras) on

Racismo é crime