Irmã de Rafael Miguel emociona com homenagem no dia em que ele faria 23 anos

View this post on Instagram

🌞

A post shared by Rafael Miguel (@rafaelmiguelreal) on

Há pouco mais de um mês, a morte de Rafael Miguel e seus pais chocou o país. O ator e a família faziam uma visita à namorada do jovem, Isabela Tibcherani, quando foram baleados na porta da casa dela.

Rafael morreu pouco antes de completar 23 anos. Ele fazia aniversário no dia 9 de julho e, para lembrar a data, a irmã do ator, Camila Miguel, fez uma homenagem emocionante em suas redes sociais.

Homenagem de irmã de Rafael Miguel

Inicialmente, Rafael Miguel ficou conhecido por causa de um comercial da marca Sustagen, em que aparecia no supermercado pedindo para a mãe comprar brócolis. Mais recentemente, fez sucesso como Paçoca, no remake de “Chiquititas”, no SBT.

O ator morreu exatamente um mês antes de seu aniversário e, no dia em que completaria 23 anos, sua irmã, Camila, usou seu perfil do Instagram para homenageá-lo.

View this post on Instagram

dia 9 de julho sempre foi dia de festa em casa. é seu dia, Rafa, e a gente aproveitava o feriado pra comemorar a sua vida e a do pai, com churrasco (com o melhor churrasqueiro) e bolo (da mais mão cheia). por mais que eu queira, do fundo da minha alma, celebrar de alguma forma quem vocês foram, e esse dia que sempre foi especial e cheio de alegria pra gente, ainda dói demais. uma dor tão absurda que chega a ser física. mas mesmo assim, tento trazer um pouco de normalidade pros nossos dias. me permitindo levantar, sorrir, sonhar, e transformar aos poucos as nossas lembranças em memórias boas, porque era quem vocês todos eram. bons e justos. é nisso que tento me apegar. hoje dói porque faz 1 mês desde que nos falamos pela última vez, nosso bom dia diário com sessão de baba pela Mariá. faz um mês dos dias mais escuros que vivi, e que ainda parecem mentira. 1 mês não se compara há uma vida de saudades e superação que vamos viver. . Rafa, nosso canceriano mais canceriano de todos. você tinha um coração tão bom. era doce, respeitoso, sentimental. era meu amigo, com quem dividi toda a minha infância, toda a primeira metade da minha vida fomos nós 2. e o vazio de não ter com quem relembrar tanto que vivemos dentro da nossa casa, no nosso dia-a-dia, é gigante. nossa família era tudo pra você, e nunca deixou de demonstrar isso como sendo seus protegidos, sua prioridade. amava de uma forma genuína que lhe dava coragem. onde muitos teriam desistido, você ficou pra ajudar e acolher. você vivia me dizendo o quanto sentia orgulho de mim, pela maturidade que desenvolvi, pela independência que conquistei, sonhos que realizei, pelo que vinha construindo. mas deixa eu te dizer: orgulho eu sempre tive e tenho de você. de irmãozinho que causava na minha pra irmão parceiro e consciente. pra sempre em mim nossa infância de banho na bacia nas férias, brincar de lavar carrinhos, brincar de correr atrás do bob, fingir que o carrinho de supermercado do makro era um barco e as setas no chão tubarões, quando você caiu da beliche e estourou o joelho e me contou que tava sonhando que era goleiro, quando fiz você ir no show da banda Cine comigo e subir no palco, (continua \/)

A post shared by Camilla Miguel (Camis) (@cahmiguel) on

De acordo com o relato de Camila, o aniversário de Rafael e do pai eram comemorados juntos: "Dia 9 de julho sempre foi dia de festa em casa. É seu dia, Rafa, e a gente aproveitava o feriado pra comemorar a sua vida e a do pai, com churrasco (com o melhor churrasqueiro) e bolo (da mais mão cheia)".

Camila, que tem apenas 26 anos, era a irmã mais velha de Rafael - além dela, o ator também tinha uma irmã de 13 anos -, e contou que, apesar de ter tentado celebrar este dia com alegria, ainda sente muito a dor da perda da família.

"Por mais que eu queira, do fundo da minha alma, celebrar de alguma forma quem vocês foram, e esse dia que sempre foi especial e cheio de alegria pra gente, ainda dói demais. Uma dor tão absurda que chega a ser física. Mas mesmo assim, tento trazer um pouco de normalidade pros nossos dias. Me permitindo levantar, sorrir, sonhar, e transformar aos poucos as nossas lembranças em memórias boas, porque era quem vocês todos eram."

Como Rafael e os pais morreram no dia 9 de junho, o aniversário do ator também marcou um mês que Camila perdeu a família e ela relembrou a última vez que falou com o irmão e contou que eles eram muito amigos, companheiros e até mesmo confidentes desde a infância.

"Pra sempre em mim nossa infância de banho na bacia nas férias, brincar de lavar carrinhos, brincar de correr atrás do bob, fingir que o carrinho de supermercado do makro era um barco e as setas no chão tubarões, quando você caiu da beliche e estourou o joelho e me contou que tava sonhando que era goleiro..."

Ela compartilhou uma série de fotos do irmão e, em uma delas, ele carrega no colo a filha de Camila, Mariá, sua primeira sobrinha, por quem morria de amores.

View this post on Instagram

Uncle loves you, baby girl ❤

A post shared by Rafael Miguel (@rafaelmiguelreal) on

Leia na íntegra a homenagem da irmã de Rafael:

"Dia 9 de julho sempre foi dia de festa em casa. É seu dia, Rafa, e a gente aproveitava o feriado pra comemorar a sua vida e a do pai, com churrasco (com o melhor churrasqueiro) e bolo (da mais mão cheia).

Por mais que eu queira, do fundo da minha alma, celebrar de alguma forma quem vocês foram, e esse dia que sempre foi especial e cheio de alegria pra gente, ainda dói demais. Uma dor tão absurda que chega a ser física. Mas, mesmo assim, tento trazer um pouco de normalidade pros nossos dias. Me permitindo levantar, sorrir, sonhar, e transformar aos poucos as nossas lembranças em memórias boas, porque era quem vocês todos eram. Bons e justos. É nisso que tento me apegar.

Hoje dói porque faz 1 mês desde que nos falamos pela última vez, nosso bom dia diário com sessão de baba pela Mariá. Faz um mês dos dias mais escuros que vivi, e que ainda parecem mentira. 1 mês não se compara há uma vida de saudades e superação que vamos viver.

Rafa, nosso canceriano mais canceriano de todos. Você tinha um coração tão bom. Era doce, respeitoso, sentimental. Era meu amigo, com quem dividi toda a minha infância, toda a primeira metade da minha vida fomos nós 2. E o vazio de não ter com quem relembrar tanto que vivemos dentro da nossa casa, no nosso dia a dia, é gigante.

Nossa família era tudo pra você, e nunca deixou de demonstrar isso como sendo seus protegidos, sua prioridade. Amava de uma forma genuína que lhe dava coragem. Onde muitos teriam desistido, você ficou pra ajudar e acolher.

Você vivia me dizendo o quanto sentia orgulho de mim, pela maturidade que desenvolvi, pela independência que conquistei, sonhos que realizei, pelo que vinha construindo. mas deixa eu te dizer: orgulho eu sempre tive e tenho de você. De irmãozinho que causava na minha pra irmão parceiro e consciente.

Pra sempre em mim nossa infância de banho na bacia nas férias, brincar de lavar carrinhos, brincar de correr atrás do Bob, fingir que o carrinho de supermercado do Makro era um barco e as setas no chão tubarões, quando você caiu da beliche e estourou o joelho e me contou que tava sonhando que era goleiro, quando fiz você ir no show da banda Cine comigo e subir no palco, quando você chorou ouvindo uma música de psy, quando você deixou eu rabiscar toda sua cara de caneta pra fingir que era catapora, quando ganhamos o primeiro Playstation e passávamos o dia jogando Tony Halk, 'Drive', 'Aladdin' e 'Teken3', quando a gente ia com a mãe todo dia buscar o pai no trabalho e ouvíamos 'Top10 da Mix', que sempre tocava Linkin Park, quando te levei pro carnaval na Vila Madalena e você sumiu e de repente reapareceu com metade da praça Benedito Calixto te jogando pra cima e gritando 'mãe, compra brócolis', quando você me abraçou porque eu chorava demais assistindo a 'O Cão e a Raposa', ou quando o pai levou a gente pra ver 'Star Wars 3' no cinema, viramos viciados. São tantas coisas, que daria um livro do tamanho de um Barsa.

E eu imploro para que a vida nunca me tire essas memórias que sobraram. Te amo, bigão. Feliz 23 anos".

Morte de Rafael Miguel