História do casamento abusivo de Mariana Xavier é lição para TODAS as mulheres

mariana xavier 0119 1400x800
Globo/Ramón Vasconcelos

Relacionamentos abusivos – que envolvem ou não agressões físicas – são reais e um bocado frequentes, especialmente entre mulheres. Ainda que o assunto seja discutido e as pessoas saibam que a situação é uma possibilidade com sinais muito claros, porém, pode ser um bocado difícil sair dela, e a história de Mariana Xavier é um bom exemplo de por que isso acontece.

Em um vídeo para seu canal no YouTube, o “Mundo Gordelícia”, a atriz finalmente deu detalhes de um tema que ela nunca havia conseguido aprofundar junto ao público; segundo ela, o casamento que parecia um verdadeiro paraíso no início se tornou uma verdadeira armadilha repleta de manipulação e da qual foi muito complicado escapar.

História de Mari Xavier sobre ex abusivo é uma lição

Conforme contou a atriz, os problemas do relacionamento eram claros desde o início, mas que, além da forma incrível como ele a fazia se sentir, havia também algo que Mariana chama de “complexo de Mulher-Maravilha” da parte dela. “Eu sempre fui muito terapeuta dos meus amigos, já tirei muita gente do buraco. Se eu tinha conseguido salvar os meus amigos, imagina se eu não ia conseguir salvar o cara por quem eu estava perdidamente apaixonada?”, relembrou ela no vídeo.

Isso, porém, fez com que ela passasse a negligenciar o próprio bem-estar pela relação. “Eu tomei para mim aquela missão, mergulhei nela até as últimas consequências, até quase, muito quase, esquecer de mim”, disse a atriz. De acordo com ela, a insistência e “consertar” o então marido e a forma como ele a tratava foram fatores responsáveis por prendê-la cada vez mais à situação.

“A minha vaidade e a minha carência foram acariciadas pelas declarações de amor dele e me fizeram acreditar que eu era especial, que comigo ia ser diferente”, comentou, ressaltando que, ao tomar esse caminho, acabou perdendo muitas das coisas (e até características próprias) que apreciava na vida.

“Ele dizia que o que o fez se apaixonar por mim foi a minha leveza, minha alegria, minha espontaneidade, e foi exatamente tudo isso que eu fui perdendo ao longo do relacionamento”, afirmou Mariana, lembrando também, muitas vezes, a toxicidade de uma pessoa não se apresenta apenas em forma de violência física. “Muitas vezes é na base da voz mansa, do carinho, do cuidado e até da pena, a gente vai sendo manipulada, vai abrindo mão do que a gente é e do que a gente quer”, comentou.

Segundo a atriz, outro aspecto que a fez insistir na situação mesmo com todos os alertas à vista é algo que está, em menor ou maior intensidade, presente na vida de toda mulher. “A gente é ensinada a relevar, a achar que é sempre a gente que está paranoica, que a gente está exagerando, sendo exigente demais – e que se a gente for exigente demais, a gente vai ficar sozinha. A gente vai se anulando”, desabafou.

Essa culpabilização à qual a mulher é constantemente submetida também foi o que a fazia se sentir mal sempre que os dois brigavam. “Ele tinha viradas de humor absurdas calibradas por álcool, muitas vezes por ciúmes absurdamente descabidos. Falava um monte de m****, catava a chave do carro e sumia. Voltava numa ressaca moral absurda, passava semanas num baixo astral horroroso, sem falar comigo a troco de nada e eu fazendo um esforço sobrenatural pra tirar a pessoa da vala em que ela, só ela tinha se colocado”, relembrou.

Hoje, porém, Mariana diz acreditar no amor e nas pessoas, e deixa um recado para quem está passando por algo semelhante: segundo ela, por mais que a pessoa faça parecer que “jogar a toalha” é errado, isso é, sim, possível (e, às vezes, muito necessário). “A gente acha que desistir é fracassar. Só você vai saber o seu limite mas você tem o direito de desistir”, lembrou a atriz.

Assista ao vídeo:

Mariana Xavier: autoestima, televisão e mais