Mãe mostra marcas intensas em sua barriga pós-parto e faz forte relato sobre autoestima

View this post on Instagram

For years I hated myself. I truly disliked the way I looked. Every opportunity I got that involved me having to make an appearance would put me in an anxiety attack. I’d take so many tablets of gastro stop just to walk out the door. I’d go to events and avoid people. I was so busy trying not to shit myself people would assume I just thought I was too good to be there. I never once thought that. I would become obsessed with looking for nasty comments about myself. Day in and day out I’d google, I’d read all these horrid things that weren’t even true about myself. I wouldn’t sleep, I wouldn’t go out and I wouldn’t parent my best. Not only were these people writing things about my children, my husband and myself they’d pull apart my body and make it there own hurtful game of teasing, belittling, scrutinise every inch. The names they’d call me were horrific, hurtful and embarrassing. They literally took attack to a strangers body, someone they haven’t even meet. That’s when I sat back and thought to myself. What these people were saying about me said more about them. Every time they’d put me down so I wouldn’t be more appealing to another showed their insecurities with their own life. I stopped reading, I stopped searching and I started living. Life is so incredible. It truly is. I made four humans, four!! Am I insane? Maybe. Am I tired? Sure. Is my body pretty much a deflated ballon? Hell yeah. But it was their home. Their safe haven. My husband utterly adores me, he truly loves me with everything he has, rare but true. I deserve every ounce of happiness in my life that I make for my family, so do you. Stop wasting your time on hating things that can’t be changed (well unless you want to go under the knife) and live for these moments. The chubby ones, the squishy ones, the ones where your family are first. I workout not for a six pack (🍩🍫) but because I like me and I deserve to be the best version of myself. Because anything you like you’ll want to be with, you’ll want to live, you’ll want to care for. Care for yourself. 2018 is definitely a year for some #selflove What others say about you ONLY defines their character not yours. 🌻

A post shared by the modern mumma - Mel Watts (@melwatts) on

A autoestima após dar à luz pode ser seriamente prejudicada devido a mudanças corporais inerentes a esse período. Uma mãe australiana destacou essa realidade em um honesto post nas redes sociais.

Barriga pós-parte e autoestima

Mel Watts é uma blogueira que adota o pseudônimo "The Modern Mumma" ('A Mamãe Moderna", em tradução livre) e compartilha diariamente a rotina com seus quatro filhos para mais de 154 mil seguidores no Instagram e os leitores de seu blog pessoal.

Contudo, uma publicação de Mel fez mais sucesso do que outras devido ao relato forte feito pela blogueira:

View this post on Instagram

I wish filtering this would make it look better. But it doesn’t. Forever a battle I’m battling, though the most insignificant battle for most. I’m not missing a limb, I have all of my children and I have all of my loved ones heathy and living under one roof. Though a battle with my mind. Always battling my mind. Revolting, disgusting, unflattering, repulsive just to make a few words I’ve often used on myself. But what for.... something that happened because I brought my small people into the world. I never bounced back, I didn’t even slowly drag back to my old self. Truth be told I don’t want to be old me. If this is what I have to remind me of the most precious gifts I was given then I’ll wear my battle wounds. This doesn’t get better, it gets worse. The more weight I loose them more skin appears. I use to measure my looks based on something I hated so much. But I’m actually a great person in many other ways. I can guarantee majority of the people on my accounts wouldn’t have a clue what was hidden under my clothing. Though I bet they liked me before hand (or didn’t and just like to tag along to make fun of me) and I’d assume that there are a few other women out there who feel as though they worth is measured by something so similar. Bringing up another generation of people who will lead, create change and empower others in the future it is vital to teach them to accept themselves for who they are. Love themselves (something I’m still learning daily) and be kind. Though something may seem small to you it might actually be a mountain hill to someone else. And if you are like me, be kind to yourself. And thank the lord for high waisted pants and one pieces - or embrace the fuck out of it and bikini it. We only have this one life.

A post shared by the modern mumma - Mel Watts (@melwatts) on

Nela, ela mostra o impacto da gravidez em sua barriga, que aparece flácida, com estrias e uma profunda cicatriz da cesárea que realizou há cerca de sete meses. 

No texto, ela aborda o pouco falado efeito da maternidade sobre a autoestima.

"Eu queria que um filtro fizesse isso [a barriga] parecer melhor, mas não faz. Estou lutando uma batalha eterna, embora seja a batalha mais insignificante de todas para a maioria das pessoas", escreveu referindo-se às mudanças físicas resultantes do nascimento de seus quatro filhos e como podem parecer banais perto de problemas mais graves que outras pessoas enfrentam.

Mel ainda disse que também vive uma batalha com sua mente, que acaba por colocá-la para baixo devido à aparência.

Apesar das mudanças na autoestima no pós-parto, a blogueira ressalta que a maternidade também trouxe um lado positivo. Além de seus filhos, ela cita que se tornou uma pessoa incrível de muitas outras maneiras. "Se isso é o que eu tenho de lembrança dos mais preciosos presentes que recebi, então eu vou vestir minhas feridas de batalha", publicou.

Com palavras de encorajamento, Mel incentivou mães que passam pela mesma situação a aprenderem a amarem a si pelo que são, além de aceitar as peculiaridades de outras pessoas.

Veja texto na íntegra:

Eu queria que um filtro fizesse isso [a barriga] parecer melhor, mas não faz. Estou lutando uma batalha eterna, embora seja a batalha mais insignificante de todas para a maioria das pessoas: eu não estou perdendo um membro, eu tenho todas as minhas crianças e todas as pessoas que amo estão saudáveis e vivendo embaixo de um teto.

É uma batalha com minha mente. Sempre batalhando com minha mente. "Revoltada", "repugnante", "desagradável" e "repulsiva", só para citar algumas palavras que eu frequentemente uso contra mim mesma.

Mas.... Alguma coisa aconteceu porque eu trouxe meus pequenos para o mundo. Eu nunca voltei a o que era antes, nem cheguei a me arrastar atrás de meu antigo eu. Verdade a ser dita, eu não quero ser o velho eu. Se isso é o que eu tenho de lembrança dos mais preciosos presentes que recebi, então eu vou vestir minhas feridas de batalha.

Isso não fica melhor, fica pior. Quanto mais peso eu perco, mais pele aparece. Eu costumo medir minha aparência com base em algo que eu odeio muito, mas eu atualmente sou uma pessoa incrível de muitas outras maneiras.

Eu posso garantir que a maioria das pessoas nas minhas redes sociais não tem a mínima ideia do que está escondido embaixo das minhas roupas. Embora eu aposte que eles gostaram de mim logo de cara (ou não e simplesmente queriam tirar sarro), eu assumo que há algumas outras mulheres por aí que sentem que seu esforço é medido por algo similar.

Criar uma geração de pessoas que vai liderar, gerar mudanças e empoderar outros no futuro é vital e temos de ensiná-los a aceitar a si pelo o que são. Ame-se (algo que eu ainda estou aprendendo diariamente) e seja gentil.

Embora algo possa parecer pequeno para você, a mesma coisa pode ser uma montanha para outra pessoa.

E se você é como eu, seja gentil consigo e agradeça a Deus pelas calças de cintura alta - ou abrace o foda-se e use um biquíni. Nós só temos essa única vida.

Transformação corporal no pós-parto