mulher

Você bebe para esquecer? Na verdade, álcool só te faz lembrar mais das coisas ruins

homem bebendo sozinho 0217 1400x800
Ljupco Smokovski/Shutterstock

É muito comum as pessoas dizerem que, para esquecer uma desilusão amorosa, uma briga ou qualquer outro acontecimento ruim, o melhor é beber. 

Beber ajuda a esquecer? 

É verdade que o álcool reduz a consciência e até a socializar mais, mas quanto o assunto são memórias ruins, o efeito é inverso ao que se imagina.

Beber, na verdade, pode fazer com que você se sinta ainda pior. Um estudo recente feito pela Universidade Johns Hopkins, de Baltimore, nos Estados Unidos, afirma que o álcool não só é capaz de prevenir que a pessoa esqueça memórias ruins, como ainda consegue reforçá-las.

Efeito do álcool no organismo

beber para esquecer 0217 1400x800
VGstockstudio/Shutterstock

Isso acontece porque ele consegue fortalecer células nervosas que estão conectadas ao centro de resposta do medo no cérebro.

O professor e doutor em neurologia Norman Haughey, da Universidade Johns Hopkins, alerta que, quanto mais tempo você passa “afogando as mágoas” na bebida, mais difícil é de superar experiências traumáticas.

“O álcool altera a química cerebral, o que torna a superação de memórias ruins mais difícil”, contou o especialista ao site de notícias Daily Mail Online.

Além disso, se recuperar da desilusão nem sempre é sinônimo de esquecer o trauma, mas de aprender a não ter reações físicas e emocionais ruins ao lembrar do que aconteceu.

Como o estudo foi feito? 

Os cientistas colocaram ratos em uma gaiola com chão eletrificado, enquanto tocavam uma música especifica e, neste local, os animais receberam alguns choques. Isso foi feito para que eles aprendessem o que é uma experiência ruim.

Depois disso, alguns ratos tomaram apenas água e outros tomaram uma bebida com teor alcoólico de 20%.

No dia seguinte, os pesquisadores tentaram desassociar a memória ruim deles com a música e,desta vez, colocaram a canção sem que eles levassem nenhum tipo de choque.

Os que haviam tomado álcool ficaram “paralisados”, demonstrando medo porque se lembraram do choque que levaram no dia anterior. Já os que tomaram água não tiveram nenhuma reação adversa.

Conclusões do estudo 

bebado triste 2 1110 1400x800
lOvE lOvE/shutterstock

A partir da análise de amostras de tecidos cerebrais, foi possível ver que os ratos que beberam álcool tinham muito mais receptores em suas sinapses dos que os ratos que beberam apenas água. Sinapses mais fortes significam memórias mais fortes.

Beber para lembrar?

Contudo, beber também não é uma solução para ter uma memória melhor. Isso porque os pesquisadores descobriram que os ratos que tiveram mais receptores de sinapses ficaram traumatizados e com mais medo.

De acordo com o estudo, medicamentos de curto prazo receitados por um especialista e terapia comportamental seriam as únicas formas de minimizar ou até mesmo eliminar memórias ruins da cabeça.

Bebidas alcoólicas