mulher

Sinto inveja do meu irmão: como administrar esse sentimento ruim

irmas brigas inveja 1116 1400x800
PeopleImages/iStock

É bastante comum crianças pequenas demonstrem ciúme e incômodo de um irmãozinho mais novo que chegou à família, já que percebem no novo membro uma ameaça que rouba a atenção dos pais que antes era exclusiva. O sentimento é normal e natural, mas quando permanece até a vida a adulta, se transformando em inveja, a situação fica mais complicada.

A inveja não é fácil ou agradável de ser admitida, pois é cercada de conceitos negativos e julgamentos sociais. Mas o que fazer quando ela surge e parece incontrolável? O passo inicial é entender que a inveja nasce de uma tendência a nos sentirmos inferiores quando nos comparamos ao outro. E os irmãos, por causa de uma relação tão próxima, talvez sejam os primeiros “alvos”.

homens mulheres amigos 1016 1400x800
shutterstock

Além disso, a inveja normalmente é mais forte e presente quando o outro supostamente é melhor ou tem algo a mais que você, mesmo pertencendo a um mesmo núcleo, tenha idade próxima ou condição social semelhante.

Irmãos podem naturalmente e inconscientemente competir pelo amor e pela atenção dos pais, podendo gerar uma rivalidade não declarada e criando espaço para a inveja quando um deles consegue conquistar melhores resultados ao longo dos anos. Humilhação, orgulho ferido e até comportamentos agressivos podem fazer parte da vida daquele que se sente “perdedor”.

amigas amizade best friend 1016 1400x800
tynyuk/Shutterstock

Quem sente a inveja, no entanto, não é necessariamente um algoz ou alguém cruel, pois também pode experimentar grande vergonha de nutrir o sentimento que não é dominado. Algumas medidas bastante simples podem ser tomadas e trabalhadas para que a inveja não tome controle da sua vida.

Como deixar de ter inveja do meu irmão?

Comece evitando o hábito constante de se comparar ao irmão e perceba suas próprias qualidade em vez de apenas observar os defeitos ou medir seu sucesso e suas conquistas baseados na vida do outro. Entender que não existem modelos que servem a todos ajuda a compreender os limites pessoais e permite ser mais feliz sob a própria pele, sob suas condições particulares.

amigas abraco
sanjagrujic/Shutterstock

É preciso ainda ter certo distanciamento e procurar enxergar as pessoas e as situações com maior clareza. Muitas vezes a inveja surge de uma idealização da vida alheia, seguindo o conceito de que a grama do vizinho é sempre mais verde. Saber que, assim como você, seu irmão também possui falhas e enfrenta dificuldades ajuda a ser mais realista e diminuir o sentimento de inveja.

Lute conta o excesso de julgamentos e autocrítica que tanto atrapalham o convívio e assuma responsabilidades. Em vez de desejar que o outro perca o que conquistou ou invejar o sucesso alheio, perceba que suas próprias atitudes determinaram seu momento atual e que, caso ele não seja ideal, só você é capaz de reverter a situação, sem apontar culpados ou envenenar as relações familiares.

Relações entre irmãos