explore

Furacões estão demorando mais para perder força e se tornando mais longos, diz estudo

furacao forca 1400x800 0917
Minerva Studio/Shutterstock

Os furacões do Atlântico Norte estão durando mais tempo e demorando mais para perder força, segundo estudo divulgado pela revista Nature. O motivo do fenômeno, de acordo com os pesquisadores, é o aquecimento global.

dorian furacao 1400x800 0919
NOAA/Getty Images

E o problema pode se tornar ainda mais grave no futuro, pois à medida que o planeta esquenta, a destruição trazida pelos furacões deve avançar de forma progressiva, afirmam os cientistas do Instituto de Ciência e Tecnologia de Okinawa, no Japão.

Como o aquecimento global interfere nos furacões

furacao florence 2 09 18 1400 800
Chip Somodevilla/Getty Images

Para chegar à conclusão de que os furacões estão mais intensos, os pesquisadores analisaram a força dos fenômenos naturais que tocaram o solo da região do Atlântico Norte no período de 1967 a 2018.

furacao   1400x800 0317
fergregory / Istock

Foi possível descobrir que, enquanto nos anos 1960 um furacão perdia cerca de 75% da sua intensidade um dia após tocar o solo, atualmente essa perda é de somente 50%.

furacao destruicao 1400x800 0917
Leonard Zhukovsky/Shutterstock

A relação entre força maior dos furacões e aquecimento global está no fato de que eles são alimentados pela umidade do mar. O estudo mostra que elevação da temperatura dos oceanos aumenta a umidade que o furacão carrega ao tocar o solo.

furacao nasa formacao 0317 1400x800
Harvepino/Shutterstock

Ainda de acordo com o trabalho científico, o problema tende a se agravar no futuro. Isso porque o aquecimento do planeta pode elevar o poder destrutivo dos furacões de forma progressiva.

Consequências do aquecimento global