Como se mede o Q.I. das pessoas: explicamos como funciona

Como se mide el coeficiente intelectual
iStockphoto/Thinkstock

O amplo uso do teste de Q.I. (quociente de inteligência) é bastante controverso, já que seu resultado levanta várias questões sobre a relevância na medição real da inteligência. O teste, que tem mais de 100 anos, por outro lado, ainda tem grande aceitação na população. É por isso que vamos explicar como o Q.I. é medido. Assim você pode tirar suas próprias conclusões.

O que é inteligência?

estudiar3
bikeriderlondon/Shutterstock

Segundo a Enciclopédia Britânica, a inteligência humana é "a qualidade mental que consiste nas habilidades de aprender com a experiência, adaptando-se a novas situações, compreendendo e gerenciando conceitos abstratos e o uso do conhecimento para manipular o próprio ambiente". Essa definição mostra que uma pessoa não pode ser classificada como inteligente apenas devido à rapidez com que resolve problemas matemáticos, por exemplo.

O que é é o quociente de inteligência?

Como se mide el coeficiente intelectual 1
iStockphoto/Thinkstock

Em essência, o Q.I. é a pontuação resultante de uma série de testes que devem determinar o alcance da inteligência de um indivíduo. Em geral, nos referimos a isso como a qualificação de um questionário cujo objetivo é registrar as habilidades cognitivas de uma pessoa em comparação com a média do restante da população.

Os testes de inteligência são projetados para medir habilidades gerais para resolver problemas e entender certos conceitos. Resolver esses problemas significa aplicar a capacidade de raciocínio, as habilidades que um indivíduo tem para resolver problemas, perceber as relações entre diferentes objetos e conceitos, bem como a capacidade de armazenar e recuperar informações.

A origem dos testes de Q.I. remonta a 1912, quando o psicólogo William Stern o aplicou como um método para entender diferentes questões no campo da psicologia da personalidade e do desenvolvimento da inteligência. Ao longo dos anos, o teste foi desenvolvido e gradualmente começou a ser aplicado cada vez mais amplamente. Hoje, o teste caiu um pouco em descrédito, embora ainda haja quem acredite que ele é 100% confiável na medição da inteligência do indivíduo. Deve-se dizer que certas variantes e melhorias foram feitas, o que o tornou mais confiável do que sua versão original.

Como o Q.I. é calculado?

Como se mide el coeficiente intelectual 2
iStockphoto/Thinkstock

Os métodos para estimar o Q.I. de uma pessoa são múltiplos e geralmente estão relacionados ao raciocínio lógico e matemático, entre outros. Por exemplo, para calcular o Q.I., são aplicadas sequências de números que devemos preencher, números ausentes que devemos concluir e outra série de exercícios lógico-dedutivos que devemos executar em um determinado período de tempo.

Existem diferentes tipos de testes para medir o Q.I., pois não é necessário que eles se arme exatamente com as mesmas perguntas. É por isso que você encontrará muitos exames diferentes na internet, por exemplo, e nem todos especificam se são validados por um especialista ou psicólogo. A realização do teste por um profissional será a melhor maneira de conhecer o seu Q.I.

As pontuações de um teste de Q.I.

Como se mide el coeficiente intelectual 3
Wavebreak Media/Thinkstock

Esses testes de inteligência aplicam uma escala padronizada com uma pontuação média de 100 como uma média generalizada. Na grande maioria desses testes, uma pontuação equivalente a 90 e 110 é considerada padrão, comum ou normal, ou seja, um nível médio de inteligência.

Por outro lado, uma pontuação maior que 130 pontos indica inteligência surpreendente e excepcional, enquanto uma pontuação menor que 70 pontos pode indicar retardo mental. Um resultado de mais de 160 indicará uma enorme inteligência, classificada como "gênio".

Obviamente, assim como seus testes anteriores, a idade é uma variante que é levada em consideração ao desenvolver as perguntas que as constituem. Assim, por exemplo, as crianças são confrontadas com problemas e perguntas de acordo com o nível correspondente de desenvolvimento cognitivo. Vejamos as classificações gerais:

  • 164 ou mais: gênio
  • 148-164: superdotação
  • 132-148: inteligencia superior
  • 113-132: inteligência acima da média
  • 84-113: inteligência normal ou média
  • 68-84: limítrofe
  • 52-68: limite de deficiência
  • Abaixo de 52: debilidade

Do ponto de vista contemporâneo, esses índices costumam estar longe da realidade. Por que se alguém que não é bom em matemática ou lógica deve ser rotulado como deficiente mental? É realmente complexo tentar medir algo praticamente indefinível como inteligência. A definição de inteligência é muito complexa, o suficiente para não ser elaborada após os resultados de um teste de Q.I.

É possível aumentar a inteligência?

5 alimentos para mejorar la concentracion 1
Jupiterimages/Comstock/Thinkstock

Não é estranho que algumas pessoas se perguntem se é possível aumentar a pontuação obtida em um teste de Q.I. Primeiro: esse número não define o valor de um indivíduo, especialmente quando se considera que existem diferentes tipos de inteligência. Segundo: sim, você pode, mas isso não significa necessariamente que você se tornará mais sábio.

Um estudo científico da Universidade de Massachusetts analisou 1.400 estudantes entre 13 e 14 anos e constatou que, embora alguns deles tenham conseguido aumentar suas pontuações em diferentes testes padronizados, sua inteligência permaneceu a mesma. Sua capacidade de resolver problemas abstratos, sua memória e velocidade para processar informações não melhoraram. Isso significa que aumentar sua nota final em um teste de Q.I. pode realmente não significar nada.

Mas se falarmos em melhorar as capacidades do seu cérebro, isso pode ser feito e até com resultados benéficos para a saúde. O melhor é que as atividades que aumentam a inteligência geralmente são hobbies que qualquer pessoa pode adotar em suas vidas diárias, como dançar e até fazer amigos.

Outros tipos de inteligência

5 lecciones de vida6
Rawpixel.com via Shutterstock

Como mencionado anteriormente, é injusto que alguém seja rotulado como "não inteligente" apenas porque ele não é bom em matemática ou porque esquece as datas dos eventos históricos. Howard Gardner foi o psicólogo que estabeleceu a teoria das múltiplas inteligências, com a qual argumentou que a engenhosidade humana é composta de diferentes tipos de inteligência e não apenas um.

Desenvolvido entre os anos 70 e 80, Gardner propôs quatro classificações diferentes. Mas com o avanço de seu trabalho e pesquisa, ele descobriu que eles podiam se identificar ainda mais. Aqui, explicamos brevemente os nove tipos de inteligência que geralmente são adotados nessa teoria, como aponta o Colégio de Psicologia Aplicada da África do Sul:

Logico-matemática

Destaca-se pela solução de problemas através da lógica, no reconhecimento de padrões, no uso de estratégias e na facilidade no uso de números e no monitoramento de processos matemáticos.

Linguística

Essa classificação é baseada no talento de colocar ideias na forma de palavras e ser claramente entendida. Focadas na comunicação, essas pessoas encontram uma maneira de expressar seus sentimentos de maneira eficaz.

Corporal-cinestésica

Pessoas com esse tipo de inteligência têm grande coordenação entre mente e corpo. O controle das habilidades motoras e seu uso para se expressar são características comuns nele.

Musical

A inteligência musical está presente em indivíduos que são mais sensíveis ao som do que outros. Reconhecer ritmos, tons e padrões auditivos são habilidades que nem todo mundo tem.

Existencial

Se no seu dia a dia você não para de se fazer perguntas profundas sobre questões complexas, mesmo que não saiba a resposta, esse tipo de inteligência faz parte de você. Pessoas com prazer pela filosofia geralmente estão nesse grupo.

Naturalística

É definido por aqueles que têm uma conexão especial com a natureza e a compreensão de seus ciclos e elementos. Essas pessoas gostam de passar o tempo ao ar livre, em contato com animais e vegetação.

Espacial

A inteligência espacial representa aqueles que imaginam em três dimensões e que podem trazer para o mundo real os objetos que eles criaram em sua mente. A consideração de tamanho, espaços e perspectiva é um fator que pertence a ele.

Interpessoal

Esses indivíduos conseguem entender as emoções dos outros e sabem como interagir com as pessoas em seu ambiente. Empatia e consideração para com os que os rodeiam são essenciais neles.

Intrapessoal

Diferentemente do interpessoal, o intrapessoal concentra-se na compreensão de seus próprios sentimentos e nas características que os distinguem (e se assemelham) ao resto da população.

A grande vantagem dessa proposta é que ela permite que as pessoas reconheçam quais atividades são facilitadas para tirar proveito de seu potencial como acharem melhor. Além disso, também quebra os mitos de que apenas alguém com boas notas na escola terá sucesso na vida ou que ter habilidades sociais, artísticas ou emocionais não é útil ou necessário.

Fatos científicos sobre inteligência

Matéria traduzida do original de VIX espanhol, do autor Fernando Pino.