explore

Quem é a mulher responsável pela primeira fotografia de um buraco negro da história?

buraco negro eht 0419 1400x800
Divulgação/Event Horizon Telescope

A Ciência celebra nesta quarta-feira, 10 de abril, o primeiro registro fotográfico de um buraco negro, um dos eventos cósmicos mais misteriosos para os pesquisadores. E há uma informação muito legal sobre essa descoberta revolucionária: ela foi feita por uma mulher, a cientista da computação Dra. Katie Bouman, que estuda e colabora no Event Horizon Telescope (EHT).

A participação de Katie, ao lado de uma equipe de 200 cientistas, é fundamental para abrir portas para as mulheres nas pesquisas científicas, uma área muitas vezes dominada por homens. Nós estamos aplaudindo de pé o currículo dela!

Mulher que fez primeira foto do "buraco negro"

Há três anos, Katie Bouman desenvolveu o algoritmo que tornou possível fotografar o buraco negro, quando ela estava na graduação no conceituado Massachusetts Institute of Technology, o MIT. O próprio instituto fez questão de falar da ex-aluna em suas redes sociais.

As pesquisas de Katie em imagens computacionais foram cruciais para a descoberta do EHT, já que o registro dos fenômenos é essencial para a evolução da Ciência. Para conseguir a foto do buraco negro, por exemplo, foi necessário combinar os sinais de oito telescópios, combinando dados e retirando ruídos. Tudo com base no algoritmo de Katie.

Hoje, Katie atua como pós-doutoranda no projeto Event Horizon Telescope e é professora assistente no departamento de Computação e Ciências Matemáticas no Instituto de Tecnologia da Califórnia.

O currículo de Katie é incrivelmente rico. Ela tem Ph.D. em Engenharia Elétrica e Ciência da Computação pelo MIT, bacharelado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Michigan e graduação em Engenharia Elétrica e Ciência da Computação pelo MIT.

Seu foco de pesquisa sempre foi em imagens computacionais para que algoritmos e sensores pudessem reconhecer e capturar imagens de fenômenos até agora difíceis ou tido como impossíveis de se registrar.

Em seu próprio Facebook, Katie publicou uma foto muito divertida junto com sua descoberta:

"Observando, incrédula, a primeira imagem que eu já fiz de um buraco negro em processo de reconstrução".

Buraco negro fotografado por pesquisadores

De acordo com o MIT, o buraco negro fotografado fica no "coração de Messier 87", ou M87, uma galáxia dentro do aglomerado de galáxias de Virgem, a 55 milhões de anos-luz de Terra. Com o registro, se confirma que Albert Einstein estava certo ao falar da existência de buracos negros no espaço, o que foi previsto em sua teoria geral da relatividade.

Katie faz parte de um time de 200 cientistas, entre homens e mulheres, que trabalharam para conseguir a primeira imagem do buraco negro, um "local" no espaço em que as gravidades são tão fortes que puxam para si tudo que há ao redor.

Sua atuação foi focada no processamento dos sinais e na visão computacional necessária para que os telescópios conseguissem capturar a imagem.

Olhando para o espaço