Como é feita a cirurgia que muda a cor dos olhos em 20 segundos? É segura?

olho castanho cor 1400x800 0817
air009/shutterstock

Rápida, eficiente e, principalmente, perigosa. A cirurgia para mudar a cor dos olhos já existe e em apenas 20 segundos um olho castanho pode se tornar azul - as consequências, contudo, podem ser permanentes. Entenda como o procedimento.

O que faz a cirurgia de cor nos olhos

A intervenção é rápida e usa raio laser: o paciente recebe uma intervenção na camada da íris que é repleta de pigmentos castanhos, que são queimados e removidos.

Esta ação dura apenas 20 segundos, mas a alteração de cor não é instantânea, leva algumas semanas para que o processo natural de remoção de pigmento ocular se complete.

cirurgia olhos cor 1400x800 0817
Africa Studio/Shutterstock

Olho azul embaixo do castanho

“O princípio fundamental é que embaixo de todo olho castanho existe um olho azul”, disse o oftalmologista Gregg Homer, da empresa Stroma Medical, que realiza as cirurgias, em entrevista ao canal norte-americano CNN.

“Se você retira o pigmento, então a luz consegue entrar no estroma – as pequenas fibras parecidas com aros de bicicleta em um olho claro – e quando a luz se espalha ficam apenas os comprimentos de onda mais curtos, que são a parte azul”, explicou.

Preço

A cirurgia não é nada barata: são US$ 5 mil para o procedimento que não dura nem um minuto. E o uso de tal técnica, afirma a Stroma Medical, foi testada com sucesso em 37 pacientes nos dois únicos países em que já é permitida, México e Costa Rica. A empresa entrou com pedido para a legalização do método nos Estados Unidos.

olho azul 1400x800 0817
Alexandra Lande/Shutterstock

Operação tem risco sério

Nos EUA, a cirurgia de mudança de cor de olhos não é aceita pela comunidade médica. Nem na Europa. E nem no Brasil.

“Especialistas do mundo todo condenam o procedimento, não é uma opinião pessoal: qualquer cirurgia para mudar a cor dos olhos tem risco elevadíssimo”, afirmou o Paulo Augusto de Arruda Mello, membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e professor titular de oftalmologia da Unifesp.

O especialista explica que o principal perigo desta cirurgia é o surgimento posterior de glaucoma. Isso acontece porque o laser remove os pigmentos de cor da íris mas eles não são completamente eliminados e acabam entrando no sistema de drenagem do olho.

O humor aquoso (líquido composto de 98% água e 2% sais) é produzido ininterruptamente em nossos olhos e tem duas funções principais: hidratar e alimentar células e controlar a pressão ocular. Quando ele não consegue escoar, automaticamente a pressão aumenta e isso pode levar até à cegueira.

O oftalmologista do CBO não acredita que a técnica possa ser realizada no Brasil. “Hoje, a única opção segura para mudar a cor dos olhos é o uso de lentes de contato”, crava o médico.

Cor dos olhos