explore

Ciclone, tufão, furacão e tornado: qual é a diferença entre eles?

furacao   1400x800 0317
fergregory / Istock

Ciclone, tufão e furacão são nomes diferentes para o mesmo fenômeno. A diferença se dá em relação ao local em que ele acontece.

Na região do Caribe, do Golfo do México e dos Estados Unidos, o nome é furacão. Na Ásia, a nomenclatura é tufão; na região da Austrália, Indonésia, Nova Zelândia, Leste da África, Índia e Madagascar, é dado o nome de ciclone tropical. 

Ciclones são, segundo definição do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, um sistema rotativo de nuvens e trovoadas que se forma sobre águas tropicais ou subtropicais (ou seja, eles só surgem em águas quentes, com, no mínimo, 27 graus Celsius).

Funciona assim: o sol aquece a superfície da água do mar, que atinge temperaturas perto de 27 graus. O ar aquecido pela água serve como uma espécie de combustível para que se formem nuvens carregadas de tempestades.

Juntas, as nuvens carregadas de umidade formam um sistema de baixa pressão atmosférica que, segundo a meteorologista consultora do site clima tempo Patrícia Madeira, “são grandes redemoinhos que começam a girar cada vez mais rápido sobre o oceano, indicando a formação de um ciclone”.

No Hemisfério Norte, eles giram em sentido anti-horário. No Hemisfério Sul, no sentido horário. 

O órgão NHC monitora as ocorrências e as condições meteorológicas no Atlântico, onde a temporada de ciclones é de 1º de junho a 30 de novembro, e no Leste do Pacífico Norte, em que os ciclones são mais comuns entre 15 de maio e 30 de novembro.

Diferença de ciclone e tornado

Já o tornado é um fenômeno que se configura de forma diferente. Enquanto o ciclone tem formato circular e atinge 10 mil quilômetros de extensão, o tornado tem o aspecto de um funil e não passa de dois quilômetros de diâmetro.

Ambos têm poder de devastação, avançando para o continente e destruindo casas, arrancando árvores e retorcendo ferros.

Mas, enquanto o ciclone se forma a partir das águas quentes do oceano e em grandes redemoinhos, o tornado vem a partir de uma ‘supercélula’, com a nuvem vertical (de nome cumulonimbus) girando em espiral.

Desastres naturais