glam

Veja algumas dicas para viajar com crianças sem ter dor de cabeça

viagem ferias criancas

Quem gosta de viajar às vezes acaba pensando que com a chegada dos filhos o prazer de colocar o pé na estrada vai ter que ser deixado de lado. Mas para Patrícia Papp, autora do livro"Crianças a Bordo – Como viajar com seus filhos sem enlouquecer" (Ed. Pulp), não é bem assim. Ela diz que viajar com crianças é menos complicado e mais divertido do que parece, basta se planejar um pouquinho. "Viajar com os filhos é uma ótima oportunidade de estar com eles longe da rotina e da correria do dia a dia, dos telefones tocando, do stress do almoço ou das pendências do trabalho. Nada mais divertido do que colocar seu filho no carrinho e sair pelas ruas de uma cidade que você ainda não conhecia: ver vitrines, passear em um museu, descobrir um feirinha, parar para descansar em um parquinho da cidade e observar as mães que moram ali brincando com os filhos. Ou ainda, para quem tem filhos maiores, levá-los conhecer um parque temático ou um zoológico superbacana. E é uma excelente oportunidade de mostrar para seus filhos que o mundo é muito grande, cheio de diferenças culturais riquíssimas. Conhecer e respeitar o outro são aprendizados muito importantes que com certeza vão ser enriquecidos nas viagens".

Ela diz que, para viajar com crianças, é importante pesquisar sobre o destino, a estrutura dos hotéis e o clima. Ficar bem localizado vai ser mais prático e saber antecipadamente que pode chover ou fazer muito calor é essencial. "Ninguém precisa deixar de ir para um hotel porque ele não oferece banheirinhas para bebês, mas você pode levar uma inflável de casa, caso saiba com antecedência que ela vai ser útil", afirma. Outras dicas são: não levar mais bagagens do que consegue carregar; levar brinquedinhos surpresas para longos trajetos, e dê quando a criança já estiver entediada ou cansada; informar-se sobre refeições infantis servidas nos voos; programar-se e fazer tudo com calma e antecedência; em viagens de carro, fazer paradas para o banheiro, mesmo se a criança disser que não está com vontade; não dar lanchinhos ou bebidas coloridas artificialmente, que podem deixá-las enjoadas; levar um travesseirinho ou ursinho para que a criança se sinta em casa ao dormir; para as que usam fralda, calcule 1 fralda por hora durante o voo; apresentar seu filho aos comissários e recepcionistas, para se conhecerem; e, principalmente, manter a calma, mesmo se surgirem imprevistos.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]A enfermeira Priscila Israel Campos, mãe de Gabriel (5 anos) e Miguel (3), conhece bem a experiência de viajar com os filhos por vários estados do Brasil e no exterior. A primeira viagem deles foi, respectivamente, aos cinco meses e aos três meses, ambas para o Rio de Janeiro. "Praia é sempre bom com as crianças! Estamos gostando mais dos resorts, pois proporcionam um conforto maior e têm programação infantil, além de ótimas piscinas, porque meus filhos ainda não são fãs do mar. Eles têm medo das ondas, mas gostam de brincar na areia", conta.

Priscila diz que a maior vantagem em viajar com os filhos é poder estar com eles e conhecer juntos lugares diferentes. Mas, é claro, também cansa. "Este ano fomos à Disney com os dois juntos e foi muito difícil, ficamos muito cansados de correr atrás deles o dia todo", lembra. Já a maior desvantagem é a criança adoecer. "Estar fora de casa dificulta tudo. Outra desvantagem é quando tem alguma programação noturna para adultos e não tem jeito de deixar as crianças", diz. Na maioria das vezes, ela viaja apenas com o marido e os filhos, mas já optou por levar sua mãe, que ajuda a cuidar e dá mais tempo para o casal também aproveitar. "É bom porque assim podemos sair à noite, para jantar, ter um tempo só para nós, fazer passeios e ir a lugares que para eles não seria interessante".

Para as mamães que se sentem inseguras em viajar com seus filhos, Priscila tem algumas dicas: "Um bom hotel sempre facilita. Prefira algum que tenha 'espaço kids' onde você possa preparar as comidinhas do seu jeito e também um espaço para eles brincarem", recomenda.

Para Patrícia, ver o mundo através do olhos das crianças é mágico, mesmo os lugares que você já conhece podem ganhar um perspectiva fascinante. "Filhos precisam tomar banho, ser trocados e ser alimentados em qualquer lugar do mundo, seja na sua casa, na praia ou em Nova York. Então, que seja em um lugar diferente, onde você possa passear, ver coisas inusitadas, sair e se distrair", finaliza.