mulher

Novo estudo descobre 5 “matadores silenciosos” tão letais quanto doença do coração

coracao medico
Csaba Deli/Shutterstock

Doenças cardíacas são conhecidas como causas comuns de mortes súbitas por normalmente se manifestarem somente quando atingem certo limite e não indicarem sintomas claros, sendo descobertas apenas após a realização de exames de rotina. Mas um novo estudo publicado pelo site "Daily Mail" indicou 5 "matadores silenciosos" quanto problemas de coração.

Um osso quebrado, solidão, perda do sentido do olfato, dificuldade para caminhar e sono interrompido são os 5 "assassinos" aparentemente inofensivos apontados pela pesquisa realizada pela Universidade de Chicago, nos EUA, baseada em análises de saúde e hábitos de 3 mil homens e mulheres entre 57 e 85 anos.

Thinkstock

Reunindo informações como diabetes, hipertensão arterial e obesidade, bem como fatores como a solidão, a facilidade de andar e capacidade de sentir odores os pesquisadores notaram que pessoas que apresentavam saúde ruim também tinham, por exemplo, casos de ossos quebrados após os 45 anos de idade, já que indicavam maior risco de osteoporose na velhice.

Outro grupo observado com condições ruins de saúde apresentavam problemas mentais, como estresse, depressão e solidão, bem como problemas de sono. Pesquisas anteriores já haviam mostrado que a solidão pode ser tão ruim para a saúde quanto fumar 15 cigarros por dia. Além disso, o isolamento social provoca enfraquecimento do sistema imunológico e resistência de uma pessoa para doenças.

igor.stevanovic/ShutterStock

Estudos anteriores também sugerem que a dificuldade em sentir cheiros pode ser um aviso de problemas de saúde iminente, já que a saúde do nervo olfativo, que transporta informação sobre o cheiro do nariz para o cérebro, indica mau sinal de saúde em geral.

Apesar da importância de conhecer novos "matadores silenciosos", os estudiosos ressaltam que condições clássicas de saúde, como diabetes, doenças cardíacas e obesidade apareciam em comum entre os voluntários estudados que apresentavam maiores riscos de morte e problemas físicos.

Ciência comprova:Fazer hora extra aumenta o risco de doenças no coração