mulher

Mulher quase morre ao esquecer absorvente interno na vagina por 9 dias; entenda riscos

A estudante britânica Emily Pankhurst ficou entre a vida e morte graças ao uso errado do absorvente interno. Ela acabou esquecendo o objeto dentro do corpo por mais de uma semana e desenvolveu uma doença rara, mas que poder ser mortal, associada a esse produto: a síndrome do choque tóxico.

Leia também:Modelo tem perna amputada por causa de absorventeMenina morre por doença causada pelo absorvente interno7 perigos do absorvente interno para a sua saúde

Emily contou ao jornal inglês Daily Mail que os primeiros sintomas foram queda de pressão, inchaço na barriga e mal-estar, mas pensou serem consequência do período estressante que estava vivendo na faculdade.

Rapidamente os sintomas começaram a se agravar: Emily começou a sofrer com desmaios, manchas na pele e dificuldades para falar. A mãe da estudante decidiu levá-la ao hospital, mas os exames não conseguiram detectar a causa.

"Perder" absorvente interno: como aconteceu?

Como estava sangrando muito, Emily decidiu introduzir um dedo na vagina para tentar "sentir" o que estava errado: foi quando encontrou o absorvente. Na correria do dia a dia, ela se esqueceu de que estava usando um tampão e colocou outro por cima.

"Se não fosse a cordinha, não daria nem para identificar o que era aquele objeto. Foi horrível, estava completamente preto. Joguei na privada e tive vontade de vomitar", disse ao jornal.

Síndrome do choque tóxico

Os sintomas continuaram piorando, mesmo após a remoção do absorvente. Emily foi internada em uma UTI e diagnosticada com uma infecção grave, a síndrome do choque tóxico, que poderia ter sido fatal se demorasse mais paraser descoberta.

A doença está relacionada principalmente ao uso prolongado do absorvente interno, que favorece a multiplicação da bactéria Staphylococcus aureus. "A bactéria normalmente já existe no corpo da mulher. No entanto, quando ocorre sua proliferação intensa, são produzidas toxinas em excesso, que causam a síndrome do choque tóxico", explica a ginecologista Rita Oliveira da Silva, da clínica Rezende (SP).

Sintomas

Os sintomas que Emily relatou são os mais comuns, mas existem outros, como diarreia, febre alta, confusão mental, tontura, dor de cabeça e dor de garganta. Eles costumam aparecer em pouquíssimo tempo e podem piorar muitorapidamente - em torno de 48 horas o corpo já pode entrar em estado de choque.

Como evitar

O mais importante é nunca passar mais do que quatro horas utilizando o absorvente - o período geralmente é recomendado pelo fabricante na embalagem do produto. Dra. Rita alerta que, se houver suspeita da doença, a mulher deve ser internada imediatamente.  "Se a ação não for rápida, há o risco de morte", afirma. O tratamento é feito com uso de antibióticos por, no mínimo, 10 dias, além de drenagem no foco da infecção.