mulher

Como se proteger do Zika Vírus + lista de cidades em alerta para microcefalia em bebês

microcefalia em bebes 1
thinkstock

O Ministério da Saúde divulgou, na última terça-feira (24), os resultados do LIRAa 2015 - Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti. O mosquito é o transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus, micro-organismo recentemente associado ao surto de casos de microcefalia no Brasil. Mais de 1.700 cidades participaram da pesquisa. Veja os resultados a seguir.

Leia tambémChikungunya e dengue: quais as diferenças e como se prevenir das doençasMedidas simples podem evitar a contaminação pelo mosquito da dengueCitronela contra dengue funciona? Especialista explica e ensina a usar

Doenças transmitidas pelo Aedes aegypti: novos dados no Brasil 

O mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, a chikungunya e o zica vírus, provável causador da microcefalia em fetos, está cada vez mais adaptado às terras brasileiras. Com o tempo, ele se moldou ao clima daqui, o que fez com que ele ficasse ainda mais resistente.

LIRAa deste ano mostra que os números referentes às transmissões causadas pelo mosquito ainda são alarmantes. Alguns dos achados mais importantes são:

  • 199 municípios brasileiros estão em situação de risco de surto de dengue, chikungunya e zika.
  • Rio Branco é a única capital em estado de risco, mas outras 7 estão em alerta: Aracaju, Recife, São Luís, Rio de Janeiro, Cuiabá, Belém e Porto Velho.
  • 9 capitais e Brasília têm índices satisfatórios: Boa Vista, Palmas, Fortaleza, João Pessoa, Belo Horizonte, São Paulo, Teresina, Campo Grande e Curitiba. As demais capitais não enviaram seus dados.

Criadouros do mosquito 

  • O armazenamento de água, como o feito em tonel e caixa d' água, foi o principal criadouro do mosquito na região Nordeste.
  • O depósito domiciliar – em vasos e garrafas – predominou como criadouro nas regiões Centro-oeste e Sudeste
  • Nas regiões Norte e Sul, o lixo foi o principal criadouro encontrado.

Zica vírus e microcefalia 

  • 18 estados tiveram confirmação do zika vírus: Roraima, Pará, Amazonas, Rondônisa, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Espiríto Santo, Mato Grosso e Paraná.
  • Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, em 160 municípios de 9 estados.
  • O estado de Pernambuco é o que mais registrou casos de microcefalia. Foram 487 bebês identificados com a doença. Em seguida, estão os estados de Paraíba (96), Sergipe (54), Rio Grande do Norte (47), Piauí (27), Alagoas (10), Ceará (9), Bahia (8) e Goiás (01).  

Dengue 

  • Houve um aumento de 176% nos casos de dengue, com identificação de 1,5 milhão de casos prováveis.

Chikungunya 

- Houve mais de 17 mil casos prováveis de chikungunya, sendo 6.726 comprovados.

Como combater o mosquito 

microcefalia em bebes 2
thinkstock

O combate ao mosquito é uma tarefa de todos. Cabe às prefeituras a responsabilidade da limpeza urbana e às pessoas a limpeza de suas casas, evitando acúmulo de água e lixo.

O uso de repelentes e inseticidas ajuda a afastar o mosquito. O Aedes costuma picar nas primeiras horas da manhã, por isso, é indicado reforçar o uso nesse período. Também é recomendado evitar locais com mosquitos, como cemitérios, por exemplo, manter portas e janelas fechadas ou veladas com telas e usar calças compridas e mangas longas.

O Ministério da Saúde estuda algumas medidas para diminuir a transmissão das doenças. Entre elas, a vacina para a dengue, a criação de mosquitos transgênicos, incapazes de transmitir as doenças, e o uso de uma bactéria que, transmitido ao Aedes aegypti, também impede a contaminação. 

*Matéria publicada em 25/11/2015.