mulher

Características genéticas e hormonais são as principais causas das varizes

caracteristicas geneticas hormonais causas varizes 1
Thinkstock

As varizes, problema aparentemente simples, podem causar inchaços, câimbras e dor, evoluir para manchas escuras e feridas e, sem os cuidados necessários, chegar até mesmo à formação de trombose venosa (sangue coagulado dentro da veia porque está muito devagar), que pode se deslocar para o pulmão e causar embolia. 

Leia também:Tratamento para varizes: saiba quais são as possibilidades para combater o problemaCruzar as pernas dá varizes? Veja mitos e dicas de prevençãoMelhores exercícios para prevenir varizes

No entanto, ainda é a aparência física o principal fator que faz com que as pessoas procurem um médico e se informem sobre os tratamentos, que garantem resultados satisfatórios na maioria dos casos. "A estética ainda é o primeiro ponto que aparece e é a principal preocupação dos pacientes, mas pode acontecer de sentirem os primeiros sintomas sem terem notado nada na aparência", afirma o angiologista Pedro Pablo Komlós, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV).

caracteristicas geneticas hormonais causas varizes 2
Thinkstock

O que causa as varizes

O médico explica que elas se constituem a partir de veias pré-varicosas, ou seja, veias superficiais inúteis e desnecessárias que sobraram de outras formas de civilização, assim como os pelos, o apêndice e os dentes do siso. Essas veias adoecem, se dilatam e ficam tortuosas, tornando-se varizes. 

Isso acontece fundamentalmente por características genéticas, já que a tendência familiar é primeira causa das varizes. Quem tem pai ou mãe com o problema, tem chances maiores de ter também.

Em segundo lugar está a influência que o organismo sofre das flutuações hormonais, tanto em relação aos hormônios produzidos quanto aos ingeridos. "É por isso que as mulheres têm mais varizes que os homens, já que os homens amadurecem hormonalmente e ficam estáveis, enquanto as mulheres sofrem flutuações hormonais todos os meses com o ciclo menstrual", explica.

Quem não teve o problema mais cedo, dificilmente vai ter mais tarde. "Se chegou aos 40 anos sem nunca ter tido varizes, é provável que não terá mais. Ou até pode ter na menopausa, mas bem mais leve", diz.

Trabalhar em pé faz mal?

As varizes surgem predominantemente nas pernas, mas, ao contrário do que muita gente acredita, trabalhar em pé não faz com que elas apareçam ou aumentem. "Trabalhar em pé muito tempo gera cansaço nas pernas, que podem inchar, mas isso pouco influi no aparecimento de varizes. O Brasil tem uma população gigantesca que trabalha em pé, mas a maioria não tem varizes", afirma.

O mesmo vale para os saltos muito altos. "Isso não interfere. É um mito", diz. Ele lista ainda outros mitos, como depilar as pernas com cera quente, passar muito tempo na mesma posição e cruzar as pernas. "Tudo isso pode causar incômodo nas pernas, mas a causa das varizes é genética e hormonal, sempre. Não há nada mais que possa causá-las", ressalta.

Pílula causa varizes?

Outro fator muito apontado como vilão no surgimento das varizes é o uso de pílula anticoncepcional, o que, segundo o médico, não acontece, já que os medicamentos estão mais modernos e com dosagens mínimas de hormônios. "O anticoncepcional é imprescindível hoje na vida das mulheres jovens e não vejo mais nenhuma relação dele com a geração de varizes. Acho que a reposição hormonal e a menopausa são muito mais relevantes, porque aí já estamos falando realmente da ingestão de hormônios", explica. Já o surgimento de varizes na gravidez pode sim acontecer, também por causa das flutuações hormonais.

caracteristicas geneticas hormonais causas varizes 3
Thinkstock

Diagnóstico e tratamento das varizes

Um erro muito comum é acreditar que há uma quantidadenormal ou aceitável de varizes e, assim, não procurar ajuda quando elas começam a surgir. "Se aparecerem varizes, um profissional deve ser imediatamente procurado", orienta.

caracteristicas geneticas hormonais causas varizes 4
Thinkstock

Para identificar o estágio delas é feita uma ecografia, exame que avalia o sistema venoso e gera um diagnóstico preciso. "Se o paciente vai tratá-las ou não, é algo que será discutido depois, dependendo da quantidade e do nível de varizes. O médico deve indicar o tratamento necessário e o paciente vai julgar se quer ou não esse procedimento", explica.

Injeções esclerozantes

O tratamento mais comum e universalmente indicado, segundo o médico, é a escleroterapia, conhecida popularmente como secar varizes, que é feita nas veias menores, habitualmente no consultório, com o uso de injeções esclerozantes e sem nenhuma necessidade de repouso, nenhuma restrição. "São injeções em semanas subsequentes, até que a pessoa se sinta confortável. A quantidade vai depender de cada caso e do desejo da pessoa, não é preciso eliminar todas as veias. Por exemplo, alguém vai a um casamento e quer melhorar a aparência das pernas do joelho para baixo para aquela ocasião", comenta.

Laser

O tratamento a laser para varizes também é uma opção. Mas, segundo o médico, para que o laser queime as veias doentes ele tem que queimar também a pele, o que pode causar manchas nas pernas

Cirurgia

Já quando as veias são maiores, saltadas e largas, o procedimento mais indicado é o da cirurgia de varizes. "A cirurgia é feita no hospital, mas sem internação. O paciente se opera de manhã com anestesia local e à tarde vai embora, independente da quantidade das varizes. Também não é preciso repouso. Quanto mais a musculatura estiver ativa, melhor", explica.

Tratamento com espuma

Um procedimento que vem sendo feito em muitos lugares é a chamada injeção de espuma (o mesmo líquido esclerosante, porém chacoalhado, que se transforma em espuma), indicada nos casos em que a pessoa não pode fazer a cirurgia ou não tem condições financeiras, já que é uma alternativa de tratamento mais barato. "A injeção é feita em consultório, não tem custo de hospital nem de anestesia", explica. O ponto negativo é que a espuma pode causar manchas. Por isso, se a finalidade é estética, não é recomendada. 

Varizes podem reaparecer?

O médico diz que todos esses procedimentos podem ser feitos em qualquer idade e há poucas contraindicações.  No caso das injeções, que são geralmente feitas com glicose, o diabético não pode fazer. E como a cirurgia tem anestesia, um cardiopata também não deve fazer. Para esses casos, existem outras alternativas. 

Ele explica ainda que as varizes eliminadas com injeções ou cirurgias não voltam. No entanto, em pessoas que têm essa tendência, outras varizes podem surgir, porque a herança permanece. "A pessoa pode ter que operar mais vezes, mas não tem nenhum problema nisso. São veias inúteis, podem ser retiradas quantas vezes precisar", garante.

Formas de prevenção

Além do tratamento precoce, que é a melhor forma de prevenção, sair do sedentarismo e manter hábitos saudáveis ajuda a evitar que as varizes aumentem. Fatores como excesso de peso e obesidade mórbida também precisam ser controlados, já que fazem com que o retorno do sangue trazido pelas veias fique mais lento, causando um maior acúmulo de detritos do sangue embaixo da pele e, com isso, aumentando a possibilidade de ferida ou mancha. "As melhores atividades para quem tem varizes são as que usam as pernas. Desde caminhada até maratona, passando por bicicleta, natação e outras", indica.

caracteristicas geneticas hormonais causas varizes 5
Thinkstock

Meias de compressão funcionam?

Na opinião do médico, as meias elásticas, muito indicadas em casos de predisposição a varizes, só funcionariam se fossem usadas de forma constante, o que é inviável em um país de clima quente como o Brasil. "Quando alguém usa meias elásticas, está comprimindo as veias varicosas e evitando o defeito de retorno venoso. Seria uma forma de prevenção de um problema mais sério, mas o uso teria de ser constante. Mas é claro que podem ser usadas quando alguém vai fazer uma viagem longa ou durante os nove meses da gravidez, caso a mulher já tenha alguma predisposição", diz.

Diferença entre varizes ou insuficiência venosa crônica

Ele ressalta ainda a diferença entre as varizes e a insuficiência venosa crônica, problemas que muitas vezes são confundidos. "A insuficiência venosa crônica, ou IVC, é o nome genérico da enfermidade causada pelo mau retorno venoso dos pés ao coração. E um dos fatores que contribui para a insuficiência venosa crônica são as varizes. Ou seja, a presença de varizes imediatamente define o quadro como insuficiência venosa crônica, mas há outros fatores causadores como traumatismo, trombose, etc", finaliza.