mulher

Tratamentos para parar de fumar: conheça os principais

tratamento parar fumar capa
Thinkstock

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a morte proveniente do tabaco é a terceira mais evitável em todo o mundo. Embora a luta para parar de fumar seja muito difícil, já que envolve a dependência de todo o organismo por substâncias químicas, alguns métodos são disponibilizados para aumentar as chances de sucesso.

Leia também:

Pare de fumar e emagreça

Pílula e cigarro aumentam chances de trombose

Famosos que largaram o cigarro

Cigarro e a saúde da mulher

A composição química do cigarro é a grande vilã da saúde. Para as mulheres, o problema é ainda mais grave. Além de a diminuição do tabagismo entre o sexo feminino ser menor do que em relação aos homens, segundo informações do Levantamento Nacional de Álcool e Drogas, o corpo ainda tem algumas peculiaridades que são prejudicadas pelo tabaco.

"A produção dos hormônios femininos faz com que a parede das veias das mulheres seja naturalmente mais fraca, aumentando a propensão à coagulação sanguínea e, consequentemente, ao surgimento de varizes e trombose", explica o angiologista e cirurgião vascular Eduardo Fávero.

Além dos problemas no sistema circulatório, o tabaco também está associado a problemas bucais, nos olhos, como catarata e glaucoma, audição, reprodução e sexualidade.

Os problemas cardíacos também são comuns. "Geralmente, o tabagismo é associado ao câncer e a doenças respiratórias. Mas há outras doenças e problemas de saúde decorrentes do cigarro, como o infarto, AVC, aumento da pressão arterial, derrame cerebral e até amputação de membros. O fumo é a principal causa de infarto em pacientes jovens", esclarece João Luís Barbosa, cardiologista do Instituto Nacional de Cardiologia.

Embora as doenças geradas pelo cigarro sejam muitas, o câncer pulmão é o maior receio dos fumantes. E a preocupação é real, já que as chances de desenvolver a doença são aumentadas para indivíduos dependentes. "Se as pessoas deixassem de fumar hoje, diminuiríamos em 80% os casos de câncer de pulmão e 3 entre 10 casos de câncer de qualquer tipo também deixariam de existir. Vale ressaltar que em qualquer idade é válido deixar o cigarro", destaca Jefferson Luiz Gros, cirurgião oncologista e diretor do Núcleo de Pulmão e Tórax do A.C.Camargo Câncer Center.

Tratamento para parar de fumar

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Existe tratamento para ajudar na luta contra o tabagismo (Crédito: Thinkstock)

Embora boa parte dos fumantes consiga tratar o vício por conta própria, existem aqueles que precisam de ajuda médica ou de terapias auxiliares. Nestas situações, vale conhecer quais são os tratamentos para largar o cigarro.

Reposição de nicotina

Quando um indivíduo decide parar de fumar, ele pode, além de ter determinação, recorrer a alguns tratamentos. O mais conhecido deles é a reposição de nicotina. Este tipo pode dobrar as chances de sucesso do tratamento, isto porque uma das maiores dificuldades do organismo dependente é ficar sem a substância.

Adesivo de nicotina

Colocados na pele em regiões sem pelos, o adesivo de nicotina libera aos poucos a substância. Ele deve ser trocado todo dia e utilizado o tempo todo. No mercado estão disponíveis diferentes dosagens. A escolha deve ser feita após a orientação de um especialista, pois os casos são tratados de forma individualizada.

Chiclete de nicotina

Diferente do adesivo, o chiclete deve ser mascado apenas quando vier a vontade de fumar. Feito também com nicotina, o efeito é tido após a mastigação e a liberação de um gosto amargo. Após isso, ele deve ser colocado entre a bochecha e a gengiva. Assim, a substância entra aos poucos na circulação sanguínea e diminui a necessidade do cigarro. As dosagens também são diferentes e devem ser analisadas de acordo com cada paciente.

Remédios para parar de fumar

São dois remédios os mais usados nocombate ao tabaco.

O primeiro deles é a Bupropiona. Fabricado incialmente para tratar quadros de depressão, percebeu-se que resultado influiu também na diminuição da vontade de fumar. Atualmente é receitado nos tratamentos para parar de fumar.

O outro remédio para combater o tabagismo é a Vareniclina, criado especialmente para esta causa e que age no sistema nervoso central diminuindo as crises de abstinência.

Cuidados e contraindicações

Como qualquer medicamento, eles devem ser orientados por um especialista de acordo com cada caso. Enjoos, boca seca, insônia, feridas na boca e soluços constantes estão entre os efeitos colaterais destes tratamentos.

Tratamentos não medicamentosos

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Técnicas naturais ajudam no tratamento (Crédito: Thinkstock)

Além dos remédios, outros métodos podem ajudar no combate ao tabagismo. Tratamento com psicólogo, psiquiatra e terapia em grupo podem apresentar resultados. Mas os remédios naturais, como os florais, e a acupuntura também podem eficientes.

Acupuntura para parar de fumar

O tratamento através da Medicina Tradicional Chinesa pode levar até três anos. Antes, é preciso que o paciente passe por uma consulta onde todo o seu histórico psíquico e comportamental será investigado.

A acupuntura pode ser feita com microssistemas, com auriculoterapia (pontos estimulados através da orelha), com agulhar, laser, sementes vegetais ou eletroacupuntura. "Nos casos mais difíceis, podemos utilizar um ponto cirúrgico  com fio de algodão em pontos específicos, feito com toda assepsia e higiene, que permanece por 15 dias. As sessões são realizadas de duas a três vezes por semana  nas primeiras semanas e depois semanalmente até três meses", explica Hiaeno Hirata Ayabe, médica acupunturista e membro do Colégio Médico de Acupuntura do estado de São Paulo.