mulher

Perda auditiva: veja o que pode prejudicar sua audição

problemas de audicao perda auditiva ouvido 156837473
Thinkstock

É preciso estar sempre aos sinais que o organismo dá. Isso vale também para a saúde auditiva. Segundo pesquisas, apenas 40% das pessoas com problemas de audição reconhecem que ouvem mal, o que leva diagnósticos tardios em até seis anos. A fonoaudióloga Isabela Gomes, da Telex Soluções Auditivas, lista algumas situações que colaboram para a perda de audição e dá dicas para evitar o problema.

Leia também

Zumbido no ouvido: o que é, causas e tratamento

Por que o ouvido entope na serra?

Infecções de ouvido precisam ser bem tratadas

Como evitar perda auditiva

Volume alto e fone de ouvido

Exposição superior a 50 decibéis é prejudicial à saúde auditiva, por isso evite ouvir música ou assistir TV em um volume alto. "Ater-se aos limites de decibéis para garantir a saúde auditiva", ressalta a especialista.

Academia

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Ouvir música muito alto prejudica a audição / Crédito: Thinkstock

Para estimular a prática de exercícios, muitas academias usam o som alto. Nesses casos, o barulho pode chegar a 110 décibeis. Segundo Isabela, dependendo da frequência, do tempo de exposição ao som elevado e da predisposição, os atletas – e também o professor – podem sofrer danos auditivos de forma contínua e elevada ao longo da vida.

Moto

Para os motoqueiros, proteger os ouvidos do barulho do motor é essencial. Estudo do Instituto Nacional de Surdez e Outras Doenças de Comunicação, dos EUA, constatou que uma moto emite ruídos em torno de 95 decibéis (dB).  "O problema é mais agudo quanto maior for o barulho e o tempo de exposição do piloto ao excesso de ruído. O indicado é usar protetores auriculares", afirma a fonoaudióloga.

Teste em bebê

Os exames do bebê vão além do teste do pezinho, o teste da orelhinha é um importante aliado na hora de detectar problemas de audição. "É rápido, indolor, não fura a orelha do bebê e deve ser realizado após as primeiras 24 horas de vida da criança", explica a especialista.