Melanoma: o que é, sintomas e tratamento

melanoma cancer de pele pinta 167467815
Thinkstock

O câncer de pele, formado por células da pele que sofreram uma transformação e que se multiplicaram de maneira desordenada e anormal, apresenta dois tipo: o carcinoma e o melanoma. Aldo Toschi, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e coordenador da Equipe de Dermatologia do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), explica o que é melanoma, quais os sintomas e os tratamentos indicados.

Leia também

Saiba identificar pintas que podem indicar câncer de pele

Dermatologista ensina como escolher o filtro solar ideal

Mesmo mais protegida do sol, pele negra precisa de cuidados e filtro solar

O que é

Os melanomas desenvolvem-se em células primitivas, de origem embrionária. Segundo o médico, essas células têm um comportamento mais agressivo e imprevisível.  Esse tipo de câncer de pele tem incidência maior em pessoas com histórico familiar da doença e se apresenta na forma de uma pinta escura nova ou a partir de uma preexistente.

De acordo com o especialista, pessoas de pele clara com muitas pintas ou com pintas extensas e mal definidas têm maior risco de apresentar melanomas.  "Os melanomas podem se desenvolver também nas unhas, regiões de palmas das mãos e plantar dos pés sem ligação com exposição solar", acrescenta.

Sintomas

Apesar de serem mais letais, são menos frequentes, mas é preciso ficar atenta. "Pintas ou manchas podem crescer silenciosamente e muitas vezes só são percebidos por profissionais de saúde", afirma Toschi.

Diagnóstico e tratamento

De acordo com o médico, para o diagnóstico precoce do melanoma usa-se lentes de ampliação com luz polarizada e um exame dermatoscópico. "Esses equipamentos são capazes de detectar alterações na pigmentação da pele ainda não perceptíveis ao olho humano e às lupas convencionais", explica.

Esse tipo de câncer de pele deve ser tratado sempre de modo cirúrgico e, algumas vezes a cirurgia precisa ser ampliada com margens maiores. "Isso é indicado para evitar a reincidência do tumor e/ou sua progressão para os linfáticos e outros órgãos do corpo", completa o especialista.